Festa do Cinema Chinês chega a Lisboa de 10 a 30 de setembro

Festa do Cinema Chinês chega a Lisboa de 10 a 30 de setembro

Como forma de celebrar uma década de parceria entre Portugal e a China e de divulgar o melhor da 7.ª arte do país asiático, Lisboa recebe este mês de setembro a Festa do Cinema Chinês. O evento divide-se por dois locais e traz até nós um total de trinta e dois filmes.

É no Cinema Ideal, um dos sítios escolhidos para acolher o festival, que irão decorrer duas secções: Cinema Contemporâneo e Ciclo XiaoXiang Film Group. O primeiro pretende apresentar seis recentes obras chinesas e tem dois grandes destaques: A Assassina (sábado dia 12 às 19h) e Se As Montanhas se Afastam (sessão oficial de abertura quinta-feira dia 10 às 21h, com repetição às 19h do dia seguinte), ambos premiados na última edição de Cannes e realizados, respetivamente, por Hou Hsiao-HsienJia Zhang Ke, dois dos mais consagrados cineastas asiáticos da atualidade.

A Assassina esteve em destaque no último Festival de Cannes
A Assassina esteve em destaque no último Festival de Cannes

Já no Ciclo XiaoXiang Film Group, o estúdio que dá nome à secção é alvo de retrospetiva através de meia dúzia de filmes. Hotel Novo Dragão, de 1993, abre, na sexta-feira dia 11 às 21h30m, o ciclo que se estende até dia 16 quando será apresentado pelas 19h Ária do Rio Amarelo, uma das produções que a XiaoXiang lançou este ano e que retrata como, ao longo de várias gerações, uma família protege e herda a arte de Huayin Laoqiang, considerada património cultural imaterial nacional.

Imagem de Hotel Novo Dragão
Imagem de Hotel Novo Dragão

O outro local onde a Festa do Cinema Chinês terá lugar é na Cinemateca. É aí que o Panorama Histórico vai percorrer através de dez obras quatro grandes etapas do cinema da China, levando-nos desde os anos 30 até meados da década de 90. É dada a oportunidade de assistir com música ao vivo a A Divina e Os Pequenos Brinquedos, dois filmes de 1933 protagonizados por Ruan Lingyu (tida como um ícone da 7.ª arte chinesa desde o seu suicídio aos 24 anos), e são ainda apresentados títulos incontornáveis da chamada quinta geração, como Terra Amarela (1984), na altura duplamente premiado no Festival de Locarno, e Ju Dou (1990), que chegou a ser nomeado para o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Destaque também para O Rei dos Macacos e o Palácio Celeste, uma animação de 1964, ideal para atrair um público mais jovem ao festival.

ela em A Divina
Ruan Lingyu em A Divina

Xie Jin, um dos grandes nomes do cinema da China, terá também ele direito ao seu próprio ciclo. São dez os filmes que compõe a restrospetiva da obra do cineasta que faleceu em 2008, começando com A Jogadora de Basquete n.º 5 (1957), que marcou a sua estreia no cinema, e terminando com A Guerra do Ópio (1997), o seu penúltimo trabalho atrás das câmaras. Entre eles será possível (re)ver uma carreira de quatro décadas que acompanhou as várias mudanças da sociedade do seu país durante a segunda metade do século XX.

Xie Jin (1923-2008)
Xie Jin (1923-2008)

Não faltam portanto razões para acompanhar a Festa do Cinema Chinês entre os dias 10 e 30 de setembro. A programação completa bem como informações adicionais encontram-se no site oficial e no facebook do festival. De salientar ainda que no próximo ano será Portugal a estar em destaque na China, com a Festa do Cinema Português a decorrer por terras chinesas.

Mais Artigos
Luca Argel
À Escuta. Luca Argel e colaboração entre Moullinex e Sara Tavares entre os destaques