Após cinco anos e 130 episódios, a famosa série Pretty Little Liars (Pequenas Mentirosas em Portugal, exibido no AXN White) revelou finalmente a identidade do vilão conhecido por A, no décimo episódio da sexta temporada, lançado nos Estados Unidos no passado dia 11 de Agosto. ATENÇÃO: o artigo contém spoilers de toda a série, em especial do referido episódio.

Para aqueles que não acompanham a série, Pretty Little Liars segue as vidas de quatro amigas – Aria, Spencer, Hannah e Emily – que, após o desaparecimento da sua líder Alison, começam a receber mensagens e ameaças por parte de uma fonte anónima que se dá a conhecer como A. A princípio, as raparigas acreditam que Alison está por detrás do jogo; no entanto, na quarta temporada, a jovem revela que está viva e que ela própria está a ser perseguida por essa entidade desconhecida.

Os produtores da série planeavam continuar a história até ao final da sétima temporada, a qual já está confirmada. No entanto, ao assistirem à frustração por parte dos fãs, aperceberam-se que a narrativa em si começava a ficar gasta e repetitiva, decidindo então adiantar a grande revelação. No episódio Game Over, Charles, as cinco jovens encontram-se finalmente cara a cara com, nada mais nada menos, que CeCe Drake.

CeCe Drakke, interpretada por Vanessa Ray.

CeCe Drakke, interpretada por Vanessa Ray.

Recuemos um pouco no tempo. CeCe (interpretada por Vanessa Ray) foi introduzida na terceira temporada e apresentou-se como amiga chegada de Alison, vista também como uma irmã mais velha para ela. As quatro personagens principais depressa ficaram surpreendidas com o seu aparecimento, sobretudo por AlisonCeCe revelarem imensas semelhanças a nível físico. Durante a sua estadia na série, CeCe tinha como objectivo investigar o desaparecimento de Alison, na esperança de esta ainda se encontrar viva – envolvendo-se, pelo caminho, com o irmão da desaparecida, Jason. A misteriosa personagem desaparece no início da quinta temporada quando viaja para Paris, após matar Darren Wilden – um polícia que estava a tentar culpar as quatro raparigas pelo desaparecimento de Alison.

Até aqui tudo bem. No entanto, na transição da quinta para a sexta temporada, as jovens descobrem que o famoso A é, na verdade, Charles DiLaurentis – irmão de Alison e de Jason. Sim, o choque da revelação começa exactamente por aí: CeCe nasceu como Charles e eventualmente realizou a transição de sexo. Este final intermédio – já que a sexta temporada será retomada em Janeiro – tenta responder a todas as perguntas, mas acabou por deixar os fãs com mais questões e frustrações.

Charles foi internado num hospício em criança, completamente abandonado pela sua família – daí AlisonJason não se lembrarem dele. Desde cedo o jovem se começou a identificar como pertencente ao sexo feminino. Uma das grandes falhas surge quando, através de flashbacks, a série revela Charles já como mulher, agora conhecida por Charlotte. Como é possível alguém realizar uma transição de sexo num hospício? E onde é que a personagem arranjou os meios para tal?

Charles abandonado no hospício em criança.

Charles abandonado no hospício em criança.

Com a ajuda da sua mãe – que a visitava de vez em quando -, Charlotte consegue sair do hospício e tem como objectivo conhecer os seus irmãos, mas sem revelar a sua verdadeira identidade. Recuamos então à terceira temporada, e o próximo choque não é difícil de adivinhar: Charlotte cometeu incesto ao namorar com o seu irmão Jason.

A personagem decide dar uso à sua nova liberdade adoptando a máscara de A, começando a atormentar as raparigas, com o pretexto de que estas aparentemente não eram “amigas verdadeiras” de Alison e por isso teriam que pagar. Toda esta trama se torna ridícula quando CeCe justifica as suas acções dizendo que “por muito mal que tivesse feito, ninguém morreu”.

O episódio tenta igualmente desvendar outros mistérios, conhecidos apenas por aqueles que seguem a série. Em primeiro lugar, é revelado que Marion Cavanaugh – mãe de Toby, namorado de Spencer – foi morta no mesmo hospício quando Charles ainda era criança. No entanto, na quarta temporada, Marion aparece viva num flashback que revela Toby e Alison já adolescentes. Surge aqui uma grave falha temporal que dificilmente encontrará perdão.

Marion está viva quando Alison é adolescente. No entanto, o episódio data a sua morte aquando a infância de Charles.

Marion está viva quando Alison é adolescente. No entanto, o episódio data a sua morte aquando a infância de Charles.

O episódio revela também que quem matou Bethany Young – uma rapariga que desapareceu no mesmo dia que Alison, cujo cadáver foi identificado como o de Alison – foi Mona Vanderwall. Mona foi o primeiro A durante as duas primeiras temporadas e sempre manteve uma relação de amor-ódio com as raparigas. No entanto, a jovem não apresenta qualquer razão plausível para ter morto Bethany e acaba por não pagar pelo seu crime. Esta parece ter sido só mais uma “resposta” formulada à última da hora.

Um dos grandes mistérios da série também se prende com a morte de Jessica DiLaurentis – a mãe desta família complicada. Charlotte revela que, nos seus dias de liberdade, encontrou o cadáver de Jessica e enterrou-o, mas os fãs acabam por não descobrir quem, de facto, assassinou a mulher.

Ao longo da série, surgem também duas personagens enigmáticas: Red Coat e Black Widow, que presumidamente eram o próprio A ou alguém que estivesse a trabalhar para ele. Este polémico final revelou que ambas as entidades pertencem a Sara Harvey – a personagem mais irrelevante que os produtores poderiam encontrar. Sara surgiu no início da sexta temporada como uma nova vítima dos ataques de A e começou a desenvolver uma relação homossexual com Emily. No entanto, para uma série com seis temporadas, torna-se um erro gigante atribuir duas das suas personagens mais enigmáticas a uma rapariga que apenas conhecemos há dez episódios. E porque é que Sara estava a ajudar Charlotte? Qual era o seu motivo para atormentar as raparigas? Onde é que as duas vilãs se conheceram? Mais perguntas para as quais os fãs não tiveram resposta.

Red Coat e Black Widow, ajudantes de A.

Black Widow e Red Coat, ajudantes de A.

Em suma, Game Over, Charles foi um episódio que falhou em todos os aspectos. Primeiramente, torna-se significativamente ofensivo associar uma personagem transexual a tópicos tais como doença mental, incesto e crime. Em seguida, há graves incongruências entre esta revelação e episódios passados, nomeadamente porque a estrutura física de A sempre foi exposta como masculina (uma estrutura forte e robusta), o que nos pode fazer pensar que esta foi uma solução criada em cima do joelho. Um episódio que prometeu respostas a todas as perguntas acabou apenas por criar desilusões, falhas ao nível da narrativa e questões pendentes. O episódio valeu apenas pelo momento em que Emily, em jeito de vingança, deu um murro a Sara.

Pretty Little Liars regressa em Janeiro e encontrará as cinco raparigas cinco anos mais tarde, após a graduação da faculdade. No entanto, a desilusão por parte dos fãs é notável nas mais variadas redes sociais, com muitos dizendo “Se esse salto temporal for tão interessante como este final, mais vale desistir já”.

NOTA: 2/10