Entre 10 e 19 de setembro, a dança, o teatro, a música e um conjunto de actividades paralelas, como a formação ou as conversas fazem parte da 7.ª edição do Festival Internacional Materiais Diversos (fMD). O projeto que começou em Minde estende-se agora a Torres Novas e Alcanena, com uma dimensão local, nacional e internacional. 

Atualmente com direcção artística de Elisabete Paiva, o festival pretende estender a cultura contemporânea a locais fora das grandes cidades, com propostas de artistas consagrados, jovens criadores, espectáculos para a infância e juventude e de integração da comunidade. Outra das vertentes é a formação de públicos e o pensamento crítico, através de espectáculos, projectos participativos, conversas, conferências e workshops para públicos específicos.

Logo a partir de 1 de setembro, mesmo antes do começo oficial, a Sonda Espacial (L.Q.F.U.B.) funciona como um espaço de reflexão e uma mesa de trabalho, acolhendo a Mediateca fMD e vários grupos de trabalho. Também O Baile, de Aldara Bizarro, inclui o acolhimento de 30 músicos e bailarinos locais no festival.

Os Serrenhos do Caldeirão e By Heart, de Vera Mantero e Tiago Rodrigues, respetivamente, vão estar presentes no festival, assim como peças de Lander Patrick e Volmir Cordeiro e a música das bandas Sopa de Pedra e Slow Is Possible. O criador belga Vincent Glowinski (AKA Bonom) apresenta Méduses, um espectáculo de dança e desenho digital. Miguel Pereira, acompanhado por Teresa Silva e Paula Caspão, apresentam o laboratório de formação e criação Ninhou Arts Summer Camp. Estas são algumas das propostas do Festival Materiais Diversos.