Celebram-se hoje setenta anos desde o final da Segunda Guerra Mundial. E não poderíamos deixar de relembrar uma das fotografias mais emblemáticas, que foi tirada no dia 14 de agosto de 1945.

Alfred Eisenstaedt, fotógrafo e fotojornalista conhecido pelos seus registos fotográficos de vários momentos históricos, conseguiu captar um dos acontecimentos mais marcantes do final da Segunda Guerra Mundial.

No dia 14 de agosto de 1945, após o anúncio do final da guerra, centenas de americanos saíram para as ruas de Nova Iorque para celebrar. Eisenstaedt focou a sua atenção num marinheiro que corria e agarrava todas as raparigas com as quais se cruzava. Decidiu segui-lo e, quando viu um vulto branco ser agarrado, virou-se e captou o icónico momento. O marinheiro conseguira roubar um beijo a uma enfermeira que também celebrava o fim da guerra em pleno Times Square.

Edith Shain revelou, alguns anos depois, que não retribuiu o beijo, e ainda deu uma grande chapada ao rapaz. Glenn McDuffie, o marinheiro que lhe roubou o beijo, morreu no ano passado com 86 anos de idade.

Hoje, setenta anos depois, O Beijo é um dos mais conhecidos e apreciados registos fotográficos daquele momento tão jubiloso. É também conhecida a existência de uma outra fotografia, captada por Victor Jorgensen, um outro fotojornalista, referente ao mesmo momento. A principal diferença está no ângulo do registo.

Em baixo poderás ver ambos os registos (à esquerda, a fotografia de Alfred Eisenstaedt, e à direita, a de Victor Jorgensen):

o beijo