Neste Dia Internacional da Juventude, destacamos as palavras do jovem bailarino profissional e diretor artístico da Kayzer Ballet, Ricardo Runa.

“A Kayzer Ballet nasceu em setembro de 2014, o objetivo da criação desta companhia de dança, foi o facto de não existir em Portugal, uma companhia que pudesse dar experiência profissional aos jovens bailarinos que concluíam a sua formação. O trabalho da companhia foi um êxito na primeira temporada, sendo que, de 12 bailarinos que a companhia teve desde a sua criação 5 conseguiram contratos profissionais no estrangeiro. É com esse objetivo que trabalhamos todos os dias, para que os jovens tenham a oportunidade de crescer e de conseguir o seu lugar no mundo profissional da dança.

“Em Portugal não é fácil criar um projeto, pois os apoios financeiros são praticamente inexistentes, muito menos para projetos recentes na área que, muitas das vezes, não são levados a sério.”

Em Portugal não é fácil criar um projeto, pois os apoios financeiros são praticamente inexistentes, muito menos para projetos recentes na área que, muitas das vezes, não são levados a sério. Estamos constantemente a provar as nossas capacidades, pois quando ouvem falar de uma companhia jovem pensam que somos um grupo amador. Trabalhamos com profissionais de renome nacional e internacional que acreditam no projeto e o apoiam, assim como todos os bailarinos da companhia são formados por escolas de qualidade reconhecidas em Portugal e no estrangeiro.

Quando falamos de uma companhia, normalmente as pessoas pensam num grande corpo técnico, que deveria ter, mas uma vez que não existe possibilidade financeira, as tarefas são feitas um pouco por todos os membros da companhia, desde a limpeza das instalações, a tudo o que seja necessário para a realização dos espetáculos que fazemos, o que ajuda também a fomentar o espírito de grupo e de trabalho, pois nada se consegue sem esforço e dedicação.

unnamed (4)

Apesar de todas as dificuldades para a criação de uma companhia, não é isso que nos faz desistir, até porque este é um projeto muito especial, ao qual nos temos dedicado bastante e não faz sentido desistir só porque não temos apoios financeiros.

As nossas produções são sempre feitas com um budget pequeno, que tenho que gerir de forma cuidadosa para que tudo o que queremos seja possível de ser realizado. Contamos sim com muitos apoios logísticos por parte da Câmara Municipal da Covilhã e de muitas outras instituições e empresas regionais e nacionais.

“Ainda assim, nem tudo é mau… no primeiro ano de criação da companhia o público tem reconhecido o nosso trabalho e temos ganho a cada espetáculo um maior número de espetadores.”

Para além de me dedicar ao trabalho com a companhia diariamente, também me dedico ao marketing e produção dos nossos espetáculos. Temos também uma escola de dança, pois consideramos que é muito importante promover o ensino da dança em Portugal, temos aulas para crianças, jovens e adultos, nas áreas da Dança Clássica e Contemporânea.

Ainda assim, nem tudo é mau…, no primeiro ano de criação da companhia o público tem reconhecido o nosso trabalho e temos ganho a cada espetáculo um maior número de espetadores, alcançando uma média de 300 pessoas por espetáculo, é certo que pretendemos ainda elevar esse número, mas é um trabalho que vai sendo feito aos poucos.

unnamed (5)

A Kayzer Ballet tem ganho também cada vez mais a atenção dos Jovens Bailarinos Profissionais no estrangeiro, que procuram a companhia.

Estamos agora a preparar a segunda temporada que irá contar com novos bailarinos oriundos de vários países e que irá iniciar no dia 1, ainda não podemos divulgar as novidades pois ainda estamos a agendar a temporada, mas com certeza será uma boa temporada, é para isso que estamos a trabalhar, para que o nosso trabalho seja reconhecido e para que possamos crescer e aprender mais a cada dia que passa.”

 Ricardo Runa

Nascido em10846141_705065859613809_4113877963279809937_n 1991, Ricardo Runa é bailarino profissional desde 2013, depois de se ter formado na Escola de Dança do Conservatório Nacional. Na temporada 2013/2014 foi bailarino convidado da Gwinnett Ballet Theatre, em Atlanta, onde interpretou o papel de Romeu em Romeu e Julieta ou de Príncipe na Cinderela e no Quebra-Nozes. Em setembro de 2014 torna-se bailarino e diretor artístico da companhia jovem de bailado, Kayzer Ballet.