A moda e as novas tendências estão em permanente transformação. Os modelos são também um ícone especial nesta mutação – novos tamanhos, etnias e géneros. Em Los Angeles, nasce a primeira agência exclusivamente dedicada a modelos transexuais, a Apple Model Management.

Segundo a revista The Advocate, publicação dedicada à comunidade LGBT, a Apple Model Management vai abrir uma filial em Los Angeles. A agência sediada em Banguecoque subdividiu-se em modelos masculinos, femininos e crianças em novembro de 2014, e agora volta a fazer história ao abrir um escritório totalmente dedicado a manequins transexuais.

Cecilio Asunción, responsável pelo documentário sobre mulheres transgéneros What’s the T? (2013) e diretor da agência de modelos Apple Model Management, explicou à The Advocate“Vemos pessoas transgénero que são bonitas. O nosso compromisso é torná-los modelos de sucesso sem qualificar ou quantificar o seu tipo”. “Nunca é uma questão de saber se são homens ou mulheres, é sobre paixão e compromisso de ser os melhores modelos que podem ser”, acrescentou.

O mundo parece estar definitivamente a quebrar o tabu a que os transexuais estiveram sujeitos no passado. Após Caitlyn Jenner se ter tornado capa da Vanity Fair de julho, também Laverne Cox se tornou a primeira atriz transexual a ser nomeada para os Emmys, pelo seu papel na série Orange is the New Black, contribuindo para lançar mais uma vez a discussão acerca da igualdade de oportunidades entre géneros no mundo do espetáculo.

Em Portugal, existe um caso conhecido de uma modelo transexual: Filipa Gonçalves. Galardoada em 2010 com o Prémio Arco-Íris da associação ILGA (Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual e Transgénero), Filipa tornou-se a primeira modelo transexual do país a ter contrato com uma agência, a DXL Models.