Carlos Acosta, o bailarino cubano atualmente a trabalhar com a britânica Royal Ballet, confirmou que irá fundar uma Companhia de dança no seu país natal e que está à procura de bailarinos profissionais para integrar o seu novo projeto.

O futuro diretor convocou audições para os próximos dias 10 e 11 de agosto, na Escola Nacional de Ballet Fernando Alonso, em Havana. A nova Companhia vai oferecer contratos a doze bailarinos: seis homens e seis mulheres, na área da dança clássica e da dança contemporânea.

Tendo começado a sua carreira profissional em 1991, Acosta prepara-se agora para se reformar como bailarino clássico da Royal Ballet, pretendendo continuar uma carreira na dança contemporânea, isto depois de ter conseguido arrecadar destacados prémios com as suas interpretações em bailados como Dom Quixote, e ter sido o único bailarino negro a conseguir chegar e manter-se no top mundial.