A RTP2 acaba de transmitir, com notável sucesso de audiência, a Volta à França. A mais importante competição internacional de ciclismo voltou ao segundo canal com excelente acolhimento por parte do público disponível nas tardes de julho, trazendo serviço público à televisão aberta e introduzindo variedade na oferta televisiva. Custava muito continuar a aposta, mas agora em português?

Vem aí a Volta a Portugal e a RTP vai optar por apenas transmitir as etapas inteiras na televisão por cabo (RTP Informação), privando o público em geral de assistir à prova rainha do ciclismo luso. Tendo em conta os resultados do Tour e a invulgar apetência dos portugueses pelo desporto em causa, é em tudo um erro estratégico.

A RTP Informação é, como o nome indica, um canal informativo. Transferir a transmissão da Volta para lá não parece ser muito mais que um vale-tudo para aumentar as anímicas audiências da estação, seguindo o exemplo da TVI24 e importando a transmissão de provas desportivas inteiras para a estação.

Além disso, seria lógico, num ponto de vista da prestação de serviço público, e na sequência da boa prática adotada com o Tour, manter a transmissão de provas tão importantes no sinal aberto e num canal generalista.

A política de esvaziamento da 2, que tem sido agudizada à medida que a estação pública avança com a aposta nos canais por subscrição, pode até ter bons resultados financeiros – A RTP2 só pode receber patrocínios, não pode transmitir publicidade comercial nos seus intervalos, contrariamente à RTP Informação – mas tem péssimos impactos para a marca RTP. Desperdiçar uma frequência em sinal aberto para que esta seja apenas uma manta de retalhos constituída pelos programas obrigatórios do contrato de concessão, desfazendo-se de todos os focos de interesse que o canal pode ter para o público em geral é favorecer os argumentos dos que nunca se coibiram de dizer que a estação é para fechar.

Fica a dúvida, uma vez mais, se há alguém para os lados da Avenida Marechal Gomes da Costa a ter em conta a identidade de cada uma das antenas na altura de programar e, mais que isso, do seu papel no cumprimento da missão de empresa. Tem parecido que não. Enquanto assim for, cada passo da RTP será sempre do lado dos inimigos de uma televisão do Estado. Aguentemo-nos com umas horas de pimbalhismo no Verão Total a separar-nos de 1h30 de etapa por dia.

Nota do Autor, 30 de julho, 10h52 – Na verdade, a RTP Informação não se encontra a transmitir na íntegra as etapas da Volta a Portugal. Esta circunstância ainda torna mais caricata toda a situação.