Naquele que foi o segundo dia do festival MEO Marés Vivas (dia 17 de julho), os nomes que deram configuração ao cartaz e a abstração de espírito presente nos mais diversos pontos do recinto foram motivos suficientemente válidos para uma adesão em larga escala à Praia do Cabedelo.

Aguardavam-se, consequentemente, artistas consagrados do panorama musical nacional, dispostos de forma maioritária no cartaz, tais como Buraka Som Sistema e Miguel Araújo, numa noite que viria a ser encabeçada pelo norte-americano Lenny Kravitz.

Depois de KOA, o Palco Santa Casa acolheu o rapper Jimmy P pelas 19h15, que se apresentou na companhia do promissor JêPê, depois de uma curta passagem pela atuação do DJ Ride na edição 2014 do MEO Marés Vivas. Jimmy P editou FVMILY F1RST, em fevereiro do presente ano, e, como tal, estiveram presentes os temas Nas Nuvens, Quem Sou Eu e On Fire, euforicamente recebida pelo público e tocada em dose dupla. Num final de tarde marcado por uma constante interação entre o artista e espetadores de braços persistentemente direcionados para um céu azulado, Jimmy P prestou tributo a Sam The Kid, Boss AC e Da Weasel, expressou o desejo de tocar futuramente no Palco MEO e agradeceu humildemente a todos aqueles que o possibilitam sonhar de olhos abertos numa jornada que é a sua carreira musical.

IMG_5318

Ao início da noite, a jovem Kika abriu tepidamente o Palco MEO na parte dianteira de um fundo de lettering roxo e luzes condizentes. Os singles Can’t Feel Love Tonight e Guess It’s Alright que compõem o seu primeiro álbum de originais, Alive, bem como uma cover diminutamente atrativa de Stay, tema da autoria de Rihanna, puderam ser escutados por uma plateia que, escassamente ruidosa, teve a oportunidade de examinar diversas músicas que serão editadas em tempos vindouros.

IMG_5350

Com o anoitecer e o inevitável arrefecimento da temperatura,  Miguel Araújo iniciou a sua atuação com a canção Fizz Limão e a empatia entre o músico portuense e o público ocorreu instantaneamente. A folk, o rock e a pop enraizadas em Miguel Araújo tiveram o seu auge aquando da execução de temas como Dancing Queen, versão dos suecos ABBA, O Pica do Sete e Balada Astral, deixando o artista maravilhado com a moldura humana com que se deparara. Com um imprevisível pedido de casamento a ter lugar do Palco MEO, Miguel despediu-se do festival encaminhando para uma plateia inteiramente rendida um “Obrigado, Gaia! Obrigado, Porto! Obrigado, Portugal! Obrigado, Marés!”, precedido de Maridos das Outras e de uma vénia conjunta.

IMG_5413

O cabeça de cartaz do segundo dia do festival MEO Marés Vivas, Lenny Kravitz, fielmente acompanhado pelos seus adereços caraterísticos e com uma postura de rock ‘n’ roll superstar intacta, abriu o concerto com Frankenstein, seguida do êxito American Woman, perante uma plateia que entusiasticamente exclamava o seu nome enquanto este desfilava pelo palco e cumprimentava os fãs. Promessas de amor feitas (“I love you, Porto. I love it here… I wanna move here”), o artista norte-americano mitigou inoportunamente um concerto que progressivamente foi perdendo o brilho que o distinguira nos instantes iniciais, caindo na monotonia de uma espécie de jam session. Como cartadas finais, houve, ainda assim, tempo para I Belong To You, Fly Away e um encore com a eletrizante Are You Gonna Go My Way, que agitou de modo alvoroçado uma multidão, levantando poeira.

Lenny Kravitz, MEO Marés Vivas

Recuperadas as energias e contrariando a tendência da noite passada, o público presente não arredou pé do Palco MEO, mostrando uma clara disponibilidade para ser seduzido pela sonoridade contagiante dos Buraka Som Sistema. Por volta da 01h50, os Buraka Som Sistema encostaram o público à parede – só lhes deu a hipótese de dançar – e comprometeram-se a acordar Vila Nova de Gaia, recorrendo ao tema (We Stay) Up All Night. O vincadamente ritmado kuduro que contou com o suporte vocal de MC Kalaf e Blaya deixou o Cabedelo repleto de boa disposição e energia inquebrável.

IMG_5872

Para os mais resistentes, o after-hours ficou a cargo do DJ Slimcutz, Dogz United e uma atuação b2b entre No Future e DGMTLMR.