O designer londrino Benjamin Shine criou a instalação The Dance, que está patente no Canberra Centre, Austrália. A exposição inclui dois retratos, um homem e uma mulher, e uma série de figuras suspensas, que representam bailarinos.

Para construir The Dance, Benjamin Shine trabalhou, dobrou, costurou e passou a ferro cerca de 2000 metros de tule. “A ideia que tinha era fazer algo único e ao mesmo tempo fascinante e misterioso para mim”, disse Shine. Para criar esse efeito, o artista utilizou tule rosa, azul e roxo. O efeito final é gerado através das luzes traseiras que fazem sobressair as várias camadas de tule.

Benjamin Shine já é mundialmente conhecido pelos seus retratos em tule, mas desta vez arriscou em criar algo com movimento. Para isso fotografou dois bailarinos. “Eu originalmente estudei design de moda e aí eu aprendi a trabalhar com tecidos e vestuários. Ao longo dos anos eu comecei a desenvolver projetos em que utilizo os tecidos como peças de arte. A ideia de ‘pintar com tecido’ conduziu-me ao trabalho com tule, em que as dobragens e as camadas de tule permitem criar tons e texturas capazes de definir imagens e formas”, afirma Shine sobre o trabalho que tem desenvolvido com o tule.

A instalação está patente desde junho de 2015 até janeiro de 2016.