Blacksad – Alma Vermelha, de Juan Díaz Canales e Juanjo Guarnido, é o terceiro volume da série de banda desenhada que acompanha o detetive privado John Blacksad. “Aqui, um encontro inesperado vai alterar a sua vida.”

Neste terceiro volume, John Blacksad encontra-se a trabalhar como “guarda-costas e caixa” de Hewitt Mandeline, um jogador bem sucedido. Otto Lieber, fisíco nuclear de grande gabarito, deslocou-se à cidade para assistir e participar numa conferência sobre a energia atómica.

Entre o círculo que o rodeia encontra-se o benfeitor, Samuel Gotfield, e a sua perturbadora esposa, Alma Mayer – nome que faz lembrar o termo «Alma mater» que, antes do seu uso moderno como alegoria à universidade ou a alguém que é intelectual, era um título honorífico para várias Deusas mães e, mais tarde, no Catolicismo, servia também de referência à Virgem Maria.

“Não se devem julgar as pessoas pela sua aparência, minha linda… Não gostaria que eu pensasse que é uma lambisgóia com ar sinistro, pois não?”

Sem nada para fazer, Blacksad decide encontrar-se com Otto, que fora seu professor, para rever os bons velhos tempos e avivar os profundos laços de amizade. Infelizmente ou não acaba por esbarrar em Alma, com quem mantém uma estranha relação de atração, após um primeiro encontro agreste. Depois de Otto Lieber, membro de um grupo de intelectuais de esquerda, intitulado Os Doze Apóstolos, e candidato ao Prémio Nobel, ser vítima de uma tentativa de homicídio, John Blacksad vê-se envolvido numa teia de conspirações, que envolve um conflito entre cristãos e comunistas ateus.

Com a narrativa a decorrer em meados de 1950, o McCarthyism é abordado, referindo-se a um período de intensa patrulha anticomunista, perseguição política e desrespeito aos direitos civis nos Estados Unidos. O termo era originalmente utilizado para criticar as ações do republicano Joseph McCarthy, representado como o Senador Gallo em Blacksad – Alma Vermelha.

Como plano de fundo o medo de um holocausto nuclear e a fobia à guerra fria, existindo também uma referência a Adolf Hitler, representado como um gato, provavelmente em homenagem à banda desenhada Maus de Art Spielgeman. Allen Ginsberg e o poema The Howl, do livro de poesia que o tornou conhecido, são também referidos, uma vez que o poeta americano da geração beat é representado por Greenberg, “o poeta lunático”. Mark Rothko, o pintor norte-americano, de origem letã e judaica, marca também presença, sendo representado por Sergei Litvak, autor de A Alma do Mundo, pintura vislumbrada no primeiro quadrado da página 7.

“Estive mais de uma hora a observar em silêncio antes de abrir a boca e quebrar aquele instante mágico de criação. Quando sentia na mão o contacto de um pincel e o odor da tinta se lhe colava ao focinho, aquele ser de saúde frágil transformava-se num tornado.”

A arte de Juanjo Guarnido continua a provar-se como um dos grandes triunfos da série: neste terceiro volume destaca-se o desenho das lutas físicas e da nudez explícita . A paleta de cores varia, ao longo da narrativa, entre tons lamacentos e tons mais vivos, adequando-se ao ambiente de cada vinheta ou série de vinhetas. A grande atenção aos detalhes verifica-se particularmente na ilustração dos espaços, como a galeria de arte. As expressões faciais são outro ponto forte, conferindo credibilidade aos personagens, que se revelam tão carismáticos como o próprio protagonista.

Blacksad – Alma Vermelha aborda a rivalidade entre os Estados Unidos e a União Soviética e a forma como é possível assegurar o equilíbrio de forças entre as duas superpotências, ambas na posse de segredos nucleares. Referências a políticos, poetas, pintores e músicas enriquecem a narrativa. A História como plano de fundo confere credibilidade à trama e a ilustração continua a surpreender e a satisfazer. Mais uma incrível banda desenhada da série Blacksad, que promete continuar a surpreender nos restantes volumes já publicados.

“Penso que, até à hora da morte, nunca sabemos se tivemos ou não sorte na vida. E nessa altura, é já demasiado tarde.”

Nota: 9/10

Ficha Técnica

Título Original: Blacksad: Alma Roja

Argumento: Juan Díaz Canales

Desenho: Juanjo Guarnido

Editora: Edições Asa

Páginas: 56

Preço: 15,50€