Blacksad – Arctic Nation revela-se como o volume 2 da série de banda desenhada, que acompanha o detetive privado John Blacksad. A obra é da autoria dos espanhóis Juan Díaz Canales e Juanjo Guarnido.

“A segunda aventura de Blacksad começa com a descoberta de um homem que é encontrado enforcado no centro da cidade, diante de uma multidão que está em estado de choque. Que motivo estaria por detrás desta morte?
As suspeitas recaem rapidamente sobre uma organização extremista – Arctic Nation – constituída por fanáticos encabeçados por um urso branco de nome Karup.”

Este segundo volume aborda a questão da violência interracial e da segregação racial. Num subúrbio ficcional da América, intitulado The Line, após um evento cáustico, Blacksad investiga o desaparecimento de uma criança negra, supostamente raptada pela Arctic Nation, uma organização política racista, semelhante à Ku Klux Klan.

Neste sentido, a problemática da pureza racial é abordada de uma forma original, apesar de ser difícil trabalhar o tema, em virtude da antropormofia dos personagens que, além de serem distintos em espécie, apresentam alguma variedade de tons na pelagem. Ainda assim, o facto de Blacksad ser um gato preto, mas ter alguma pelagem branca (nomeadamente no focinho) contribui para o clima de tensão, sobretudo na cena do café em que não é permitida a entrada a negros.

Aqui, já com a presença de Weekly, somos brindados com um sentido de humor fantástico, em particular quando o jornalista começa a dissertar sobre os “cretinos esbranquiçados convencidos que no mundo só existe o Pólo Norte” e os “Claw, cujo ponto de união é o facto de serem todos tão negros como o olho do cu”.

Como ponto negativo, é de referir o facto da narrativa não ser contada com o ritmo adequado – seria importante estender o número de páginas ao invés de encurtar algo que tem tanto mais potencial. Além disso, já é a segunda vez que Blacksad,“a one big and handsome black cat”, vê a vida de uma possível parceira romântica a ser posta em risco. Em contrapartida, a trama apresenta-se muito interessante, abordando também questões como a depressão económica e a repressão e perversão sexual.

Quanto ao desenho, continua com uma aura cinematográfica; aliás, até 2008 existiram rumores de uma possível adaptação. De qualquer forma, a genialidade de Guarnido é indubitável.

Nota: 8/10

Ficha Técnica

Título Original: Blacksad: Arctic Nation

Argumento: Juan Díaz Canales

Desenho: Juanjo Guarnido

Editora: Edições Asa

Páginas: 56

Preço: 15,50€