Quando se ouve dizer ou comentar os preços que cada artista do mundo da música eletrónica leva por espetáculo, ficamos rapidamente roídos de inveja. Na verdade, muitos deles chegam a um custo de seis dígitos, e com vários concertos por semana não é difícil acumular milhões e milhões na conta bancária. Mas será  mesmo assim?

Bom, na verdade… sim, é. Uma lista elaborada pela Forbes diz que Calvin Harris foi o DJ que mais amealhou ao longo de 2014, somando um total de 66 milhões de dólares. David Guetta e Avicii, empatado com Tiesto, completam o pódio, que mantém a fasquia acima dos 28 milhões de dólares ganhos em apenas um ano.

Em número 12 de lista aparece Armin van Buuren, um conhecido DJ holandês que encheu os cofres em 2014 com 12 milhões de dólares. Contudo, numa entrevista recente com a Bloomberg, Van Buuren confessa que esses valores podem ser muitas vezes enganadores: “Eu tenho uma equipa de cinco pessoas em cada espetáculo. É preciso arranjar efeitos visuais e muitas vezes compras os nossos próprios materiais, já que o promotor nem sempre consegue assegurar tudo”.

O autor de êxitos como Another You e This is What It Feels Like conclui dizendo que “os valores que se ouvem na imprensa são muito muito irreais”. Na entrevista, o DJ de 38 anos diz que cobra 100 mil dólares por cada concerto, e justifica a subida constante do preço dos bilhetes para os espetadores com o facto de “os eventos de tornarem cada vez maiores, e os DJs têm de aumentar a parada… infelizmente isso custa dinheiro”.

Uma lista elaborada pela Quote em janeiro de 2015 aponta Calvin Harris, confirmado na edição deste ano do MEO Sudoeste, como o DJ mais caro do mundo, cobrando entre 350 e 500 mil dólares por cada concerto. Logo a seguir vêm David Guetta e Tiesto, cada uma a levar 350 mil dólares por concerto.