Há muito que o Google Chrome se tornou o browser mais popular para se aceder à internet. Mas a forma como o faz está longe de ser a preferida dos internautas. Agora a direção tomada parece ser a de aperfeiçoamento da rapidez e estabilidade do navegador.

O anúncio é avançado por um engenheiro de software da gigante de Mountain View. Numa declaração publicada no Google+, Peter Kasting revelou que a sua equipa vai introduzir um conjunto de alterações com vista a reduzir a utilização do CPU dos computadores e, consequentemente, aumentar a autonomia dos dispositivos. Uma das novidades anunciadas é, por exemplo, a da prioridade de abas, isto é, as abas que não estão a ser utilizadas, ficam temporariamente inativas.

Outra alteração que a equipa que desenvolve o Chrome quer introduzir visa a redução da necessidade do uso do Flash. Os conteúdos que ainda utilizam esta tecnologia só serão carregados quando o utilizador clicar neles, como é o caso de um video do Youtube numa página externa. Esta função ajuda, uma vez mais, a baixar os recursos do navegador.

Captura de ecrã 2015-06-16, às 14.52.32

A rapidez e a gestão de RAM do Chrome no sistema operativo da Apple são duas das queixas mais frequentes

Os problemas de utilização do Chrome há muito que são conhecidos um pouco por toda a internet. O excessivo uso de memória RAM e o sobre-aquecimento dos computadores são os motivos mais relatados pelos utilizadores do browser da Google. A situação agrava-se ainda mais nos aparelhos da Apple, onde nem a autonomia dos MacBooks escapa ao sorvedouro de recursos que o Chrome se transformou.

As novidades a nível de estabilidade e de rapidez estarão disponíveis, numa primeira fase, nos canais Chromium e Google Chrome Beta.