No 2º dia do festival que se dedica aos olhares femininos, o Espalha-Factos destaca a homenagem a Bárbara Virgínia e o filme francês, This is My Land.

À conversa em mesa-redonda numa das salas do Cinema São Jorge, organizadores do festival e convidados conversaram sobre Bárbara Virgínia, a primeira realizadora portuguesa, homenageada nesta que é a 2ª edição do Olhares do Mediterrâneo.

barbara virgínia

Na conversa participaram Ana Mafalda Reis, uma das organizadoras do Olhares do Mediterrâneo; Helena Matos, colaboradora do jornal Observador; Luísa Sequeira, jornalista e realizadora; Wiliam Pianco, investigador e Tiago Baptista, conservador da Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema.

This is My Land, de Tamara Erde (2014)

this is my land 2

This is My Land é um documentário que retrata a forma como, em Israel e na Palestina, o sistema educativo aborda a história e o conflito entre as duas nações. No filme participam vários professores, israelitas e palestinianos, que dão conta da forma como ensinam os seus alunos o passado dos dois países, como conversam sobre o presente e como prevêem o futuro.

De um lado escolas israelitas, de outro as palestinianas. Apesar de serem em países diferentes, a ligação entre a educação de ambas é uma constante. Se na Palestina, os professores questionam os alunos sobre os conceitos de liberdade e direito, também em Israel se levantam questões sobre a forma de atuação deste país. No entanto, a insegurança, o pessimismo e a revolta dos alunos palestinianos, contrasta com o orgulho dos israelitas, que parecem preferir “ignorar o Outro” e manter uma posição de pertença sobre o seu território .

this is my land

As diferentes formas de ensinar, seja pelo puxar pela imaginação ou constatar factos, revelam como crianças e adolescentes vêem a situação do seu país, assim como os próprios professores – alguns palestinianos a ensinar em Israel. A divisão entre judeus (Israel) e árabes (Palestina) também é constantemente abordada, mesmo quando ambos coexistem no mesmo país.

Por fim, também o Holocausto é “chamado” às salas de aula, na tentativa de influenciar o futuro através do passado.

Este é o segundo filme do festival que analisa o conflito Israel-Palestina. This is My Land traz ao público diferentes pontos de vista sobre um assunto que, desta forma, se torna menos distante, mesmo para quem vive do outro lado do mediterrâneo, e para que esta realidade só chega de forma mediada.

6/10

A realizadora:

tamara erde
 Tamara Erde é uma realizadora franco-israelita, autora de vários documentários e curtas-metragens, como Rober (2009) e Jericho (2010). This is My Land é já o seu quarto documentário. A abordagem a assuntos políticos relacionados com o conflito Israel-Palestina é frequente nos seus trabalhos. Atualmente, está a realizar uma longa-metragem intitulada de One Day My Father Died, produzida por Les Films du Poisson.

No 3º dia do festival (domingo), estará em destaque um filme português, da autoria de Marta Pessoa, O Medo À Espreita. A exibição do filme, que conta com a presença da realizadora, será precedido da Entrega de Prémios.