A espera chegou ao fim. O LP de estreia da carreira a solo de Jamie xx foi lançado no passado dia 29. Após vários meses e vários singles revelados, eis que finalmente chegou In Colour, um projeto que corresponde às expetativas.

Em In Colour, Jamie Smith pauta pela originalidade, pela inovação, e pela afirmação de um estilo muito próprio que foi definindo nos temas que foi revelando nestes últimos meses.

Sleep Sound Girl são os dois primeiros singles deste LP e destacam-se por serem duas faixas instrumentais fantásticas. Ouvir qualquer uma destas músicas leva a uma evasão instantânea, uma experiência musical única. A Young Turks divulgou no ano passado o vídeo de Sleep Sound, onde consta uma experiência incrível, que envolve música e surdos a dançar ao som desta música:

Estas não são, porém, as únicas faixas instrumentais que se podem ouvir neste In Colour. Obvs, por exemplo, é uma música instrumental que sem dúvida se destaca como uma das melhores faixas do álbum. O tambor de aço e o xilofone combinam na perfeição no estilo eletrónico de Jamie xx.

A roçar ligeiramente o alternativo, o produtor britânico apresenta no seu disco os temas Loud Places (em colaboração com Romy Madley Croft) e Stranger In a Room (com Oliver Sim). Estas colaborações foram excelentes escolhas por parte de JamieTratam-se de artistas com timbres que encaixam na perfeição no seu registo. Destaco especialmente Loud Places: parece que tudo entra em conformidade quando esta música começa a todas. O refrão, o ritmo, a letra, o arranjo instrumental com breves arranjos de piano, tudo se justapõe de forma belíssima e este é o resultado final.

Um outro ponto alto de In Colour é talvez aquele que eu considero o maior foco de inovação, talvez por ser tão improvável e ao mesmo tempo por ter resultado tão bem. O registo característico de Jamie xx cruza-se com o hip-hop e daí resulta aquele que é o single mais recente deste projeto. I Know There’s Gonna Be (Good Times) pega no clássico de 1979 dos The Persuasions e dá-lhe um twist atual. Sem dúvida uma combinação muito bem conseguida.

Quanto aos pontos negativos, há que destacar duas faixas. A primeira delas é aquela que inicia este disco. Por e simplesmente não dar para gostar da música Gosh. Talvez o grande problema da música seja mesmo a voz em low pitch que se repete sucessivamente. Também de repetições é feita a música Hold Tight. O tema promete imenso até aos 01:49. A partir daí, a música entra numa iteração contínua. Felizmente o arranjo instrumental proporciona algumas variações (porém ligeiras).

In Colour termina em grande. Girl é, sem dúvida, a melhor forma de encerrar este álbum que é fruto de uma genialidade tal, que o impacto dos pontos menos agradáveis é atenuado.

Tracklist de In Colour:

  1. Gosh
  2. Sleep Sound
  3. SeeSaw (featuring Romy)
  4. Obvs
  5. Just Saying
  6. Stranger In A Room (featuring Oliver Sim)
  7. Hold Tight
  8. Loud Places (featuring Romy)
  9. I Know There’s Gonna Be (Good Times) (featuring Young Thug & Popcaan)
  10. The Rest Is Noise
  11. Girl

Nota Final: 8,7/10