Tendo em conta o consumo excessivo de roupa, quatro mulheres criaram a LENA, uma biblioteca de roupa onde se pode escolher uma peça e requisitá-la durante cinco dias. Até agora, a LENA está apenas instalada em Amesterdão, mas as criadoras já têm o desejo de alargar o conceito a outras cidades.

De acordo com Suzanne Smulders, uma das criadoras do espaço, só na Holanda são desperdiçados 240 milhões de quilos de roupa por ano. A criadora afirma que “o consumo excessivo é um dos maiores problemas da indústria da moda, que deveria focar-se mais na qualidade de forma a produzir produtos mais duradouros que todos possamos partilhar”. Foi por isso que surgiu LENA.

Não sendo a primeira ideia do género, distingue-se por também alertar os consumidores na forma como tratam a sua roupa. As peças disponibilizadas são lavadas com detergentes naturais, pois garantem uma maior durabilidade da peça, e as máquinas utilizadas são da AEG, por usarem menos energia.

Os clientes da LENA têm o prazo de cinco dias para desfrutar das peças de roupa que podem ser vintage, feitas por novos criadores ou ecológicas. Ao fim desses cinco dias, os clientes podem escolher outra peça ou levar outra vez a mesma.

lena-01

Os utilizadores da LENA têm de registar-se no site e escolher uma subscrição com um número de pontos, que são atribuídos conforme a exclusividade, o estilo e a qualidade das peças. Se o cliente escolher a subscrição mais baixa, a de 100 pontos, pode fazer qualquer combinação dentro desses pontos, por exemplo 25+25+50=100, e assim vai usufruir de três peças. Os preços da subscrição variam entre os 19,95 aos 49,95 euros por mês.

Se o utilizador quiser, também pode vender peças de roupa que já não utilize, desde que estejam em bom estado. Também pode comprar uma peça da biblioteca caso goste mesmo dela.