O Jardim Suspenso, de Abel Neves, estará em cena, numa encenação do dramaturgo galego Cándido Pazó, de 28 a 31 de maio, na Sala Garrett do Teatro Nacional D. Maria II.

Num texto aparentemente simples, Abel Neves reflete sobre a condição humana através das relações familiares, microcosmo em que se supõe que estamos seguros e protegidos. “Mas por vezes a tragédia nasce e cresce nos limites do absurdo. Somos confrontados com o poder das palavras simples, essas que surgem quase sem nos apercebermos, e que, à mínima fenda, acabam convertidas em facas letais”, lê-se em nota de imprensa.  É assim que a impotência, o ódio e o amor, a raiva e a frustração, o medo e a dúvida desfilam num jardim suspenso, um labirinto que confronta as personagens com razões e emoções que desconhecem ou não percebem, num diálogo de surdos: “Palavras que, de repente, já não servem porque não há mais ninguém que as possa ouvir.”

O espetáculo Xardín suspenso foi estreado em março de 2015 no Salón Teatro, em Santiago de Compostela, no âmbito de um acordo institucional para o intercâmbio de autores entre o TNDM II e o Centro Dramático Galego (CDG), de forma a aprofundar o diálogo criativo entre Portugal e Galiza. Em contrapartida, o TNDM II estreou, a sete de maio, Sax tenor, do autor galego Roberto Vidal Bolaño, com encenação de José Martins.

O elenco de Jardim Suspenso conta com César Cambeiro, Melania Cruz, Rocío González, Luisa Merelas, Santi Romay e Ana Santos. A peça estará em palco de 26 a 31 de maio, de quinta a sábado, às 21h15, e domingo, às 16h15. O preço varia entre os 45€ (camarotes 1º balcão – 5 lugares) e os 5€ (2º balcão), vigorando ainda diversas campanhas e descontos. Para alunos carenciados e alunos e professores de escolas superiores e escolas profissionais de artes performativas, o bilhete custa apenas 1€.

Para mais informações contacte a página do Teatro Nacional Dona Maria II.