Michael Crichton

Autor do mês de abril: “Timeline”

Timeline é uma vasta história onde o passado e o futuro se mesclam, criando uma aventura de cortar a respiração e que nos faz sedentos pela próxima página. Michael Crichton mostra o seu incrível talento ao criar uma narrativa emocionante, cheia de suspense, aventura e personagens que queremos ver sair triunfantes no fim.

Num deserto do Arizona, um estranho homem caminha desorientado e proferindo palavras sem sentido. Quando é descoberto e levado para o hospital, encontram nas suas roupas aquilo que parece ser uma planta de uma igreja. Antes que se pudesse saber mais, o homem morre, vítima de um ataque cardíaco.

Entretanto, na região francesa de Dordogne, uma equipa de historiadores e arqueólogos, liderada pelo professor Edward Johnston, estuda as ruínas de Castlegard e La Roque, duas cidades medievais que foram palco de um confronto no século XIV. Quando Johnston parte para a companhia ITC (a empresa onde o misterioso homem encontrado no Arizona trabalhava e os financiadores da pesquisa em Dordogne) para investigar os conhecimentos da empresa sobre aquele lugar, a sua equipa faz uma descoberta surpreendente nas ruínas de uma igreja: um par de lentes de uns óculos e um pergaminho com uma mensagem de socorro com a letra do Professor.

Timeline

Intrigados, os quatro melhores pesquisadores da equipa de Johnston partem para a ITC, onde são recebidos pelo fundador, Robert Doniger, que lhes informa que o Professor usou a tecnologia quântica desenvolvida pela empresa para viajar para o ano 1357. Concordando em trazê-lo de volta ao tempo presente, Chris Hughes, Kate Erickson e André Marek partem para o século XIV, munidos com indumentárias da época e mais que prontos para lidar com a realidade que dias antes andaram a estudar.

E assim começa uma emocionante aventura pela região de Dordogne do século XIV. Com uma narrativa rápida e intensa, Crichton consegue prender os leitores às páginas à medida que a história se vai desenrolando. O livro é dividido em quatro partes, cada uma se passando nas quatro localidades principais onde a história se desenrola. Quase metade do livro é dedicado a apresentar as personagens, a descrever os lugares e a desenvolver o enredo de forma a nos preparar para o evento principal. As conversas sobre física quântica e sobre a ideia de viajar no tempo mostram o quanto o autor se preparou para a elaboração deste livro, o que o torna bem mais genial e cativante.

Um dos aspetos interessantes no enredo aparece na quarta parte do livro, quando a viagem no tempo é feita e os protagonistas se veem em Castlegard de 1357: daí em diante todos os capítulos são iniciados com uma contagem do tempo que têm para resgatar o Professor e voltar ao presente. Isso ajuda a elevar o suspense e a noção de emergência à história, e faz-nos torcer pelo bem-estar das personagens enquanto as vemos enfrentar provação atrás de provação.

A nível narrativo, Crichton revela um bom equilíbrio tanto na exposição como na descrição dos lugares e da ação. Contudo, nota-se uma maior tendência para a ação, como é possível ver em cenas como na participação de Chris numa justa ou no confronto perto do fim. No entanto, o autor não descura da atenção aos detalhes mais importantes, como a indumentária da época ou a língua falada.

Timeline é sem dúvida um dos melhores trabalhos de Michael Crichton. Juntando ficção científica com um cenário medieval não é tarefa fácil, mas o autor soube tratar do tema de uma forma genial e ainda criar uma história emocionante e viciante. Para quem gosta de ficção científica ou um cenário mais focado no tempo passado, este livro agrada a ambos os tipos de leitores.

Nota final: 9/10

Sobre o livro:

Autor: Michael Crichton

Ano de lançamento: 1999

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.