No Espalha-Factos continuamos a destacar a melhor performance televisiva semanalmente. Esta semana o Emmy é atribuído a Charlie Cox, de Daredevil.

Daredevil_612x380

Charlie Cox em Daredevil

Os heróis da Marvel e da DC Comics estão de volta à televisão, mas agora em versões melhoradas e nada infantis. Surpreendentemente, também a Netflix se lançou nesta empreitada com Daredevil, onde Charlie Cox interpreta de forma excecional Matt Murdock, um jovem cego com uma vida dupla: é advogado durante o dia e à noite protege as ruas de Hell’s Kitchen, em Nova Iorque, encarnando o papel de super-herói. Na verdade, Cox é tão divertido e brilhante como Matt Murdock que, por vezes, é estranho vê-lo com o traje de Demolidor (Daredevil) em cenas altamente violentas e místicas. A Netflix conseguiu mostrar uma versão mais realista e humana deste herói da Marvel, claramente inserida numa atmosfera típica dos trabalhos incríveis de Frank Miller.

Com 13 episódios, é quase impossível escolher um que se destaque mais, no entanto fica a ressalva para um momento crucial nas típicas histórias de super-heróis: o episódio onde o herói se encontra pela primeira vez com o seu inimigo, o vilão da série Wilson Fisk (Vicent D’Onofrio). Este meet é realizado de uma maneira interessante já que acontece em dois momentos distintos. O primeiro sucede com ambos os personagens na sua forma humana, e só depois um segundo momento em que Daredevil e Kingpin (Wilson Fisk) surgem como o seu alter-ego ficcional.

Uma série potente, com performances sólidas, escrita inteligente e cenas contundentes que ajudam a elevar Daredevil acima das expetativas dos fãs de comics (que já eram bastante elevadas).