Mostra do Documentário Português, ou como é mais conhecida, o Panorama, regressa a Lisboa entre os dias 15 e 19 de abril para a sua 9.ª edição e promete reafirmar e radicalizar os seus objetivos primordiais.

Apordoc – Associação pelo Documentário organiza em exclusivo o festival pela primeira vez e apresenta um programa composto por 37 filmes divididos em 16 sessões diferentes. Sessões que foram planeadas de modo a salientar alguns dos principais movimentos dos documentários contemporâneos, feitos de “repetições, insistências ou, mais ao de leve, rimas ou ecos“, como dizem Amarante Abramovici e Inês Sapeta Dias, as programadoras do Panorama.

Foi a partir desta programação que Abramovici e Dias foram de encontro à carreira de João César Monteiro, já que nos seus filmes é possível encontrar os “elementos fundamentais da programação contemporânea deste Panorama: a insistência no filmar o íntimo, a família, o espaço da casa ou os percursos de todos os dias; mas também o impulso para filmar as ruínas da cidade, da paisagem ou dos próprios filmes“. É por isso que o realizador terá 7 obras suas a fazerem parte da agenda do festival, sendo o seu Fragmentos de um Filme-Esmola (1972) o documentário de abertura enquanto que o seu último trabalho, Vai e Vem, lançado em 2003, ano em que morreu, fecha a Mostra.

Ao contrário dos anos anteriores, a programação do Panorama não será dividida em secções nem terá um lugar fixo, de modo a que os filmes possam dialogar não só entre si mas também com os espaços onde são projetados. Algumas das paragens da “viagem” que a Mostra oferece este ano são sítios onde nem é habitual passar cinema, ainda que o festival marque presença em espaços diretamente ligados à 7.ª arte. Os espaços são: Fórum Lisboa; Cinemateca Portuguesa; Hospital Júlio de Matos; Paróquia de Santa Joana Princesa; Culturgest; Centro Cultural Malaposta; Cinema Ideal; Cinemateca Júnior; Museu Geológico; Museu Nacional de História Natural e da Ciência e Reservatório da Mãe d’Água.

Razões não faltam para acompanhar o Panorama nesta viagem por Lisboa e arredores e perceber como cada filme se interliga com o espaço onde é exibido. O festival arranca no dia 15, no Fórum Lisboa, e só termina no dia 19 no Centro Cultural Malaposta. Todas as informações sobre o certame encontram-se no site oficial.