6a00d8341c630a53ef01310f637354970c-500wi

Autor do mês de abril: Michael Crichton

Mensalmente, o Espalha-Factos irá dar destaque um autor. Numa rubrica intitulada ‘Autor do Mês’, serão publicados artigos relacionados com o escritor escolhido. Num ano em que está para estrear o filme Jurassic World, resolvemos dar-te a conhecer o autor por detrás da ideia que inspirou o aclamado filme de Steven Spielberg em 1993: John Michael Crichton.

John Michael Crichton nasceu a 23 de outubro de 1942 em Chicago. Filho de John Henderson Crichton e de Zula Miller Crichton, Michael desde muito cedo se mostrou interessado pela escrita, tendo aos 14 anos uma coluna sobre viagens no The New York Times. Focado numa carreira na escrita, foi estudar para a Universidade de Harvard em 1960; contudo, os problemas que teve com o Departamento de Inglês fizeram-no virar-se para antropologia biológica, graduando-se com distinção em 1964.

jurassic-park-blu-ray-michael-crichton

As suas primeiras publicações tiveram início quando entrou para a Harvard Medical School. Devido à sua altura excecional, decidiu assinar os livros com os pseudónimos John Lange (“grande” em alemão) e Jeffrey Hudson (em referência a um famoso anão que fazia parte da corte da rainha consorte Henrieta Maria de Inglaterra no século XVII).

Em 1969 concluiu o curso de medicina em Harvard. Contudo, nunca obteve licença para praticar medicina, decidindo dedicar-se à escrita, visto que era a sua maior paixão. Por essa altura, já vários dos seus trabalhos haviam sido publicados, tais como Odds On, A Case of Need e The Andromeda Strain.

Crichton escreveu dezenas de livros ao longo da sua vida, tanto de ficção como não-ficção, sendo este último género baseado nas suas experiências e nos seus conhecimentos nos campos da ciência e da medicina. Publicou quatro livros deste género: Five Patients, Jasper Johns, Electronic Life e Travels.

Jurassic_park

Contudo, foi a ficção que o levou à fama. A maior parte dos seus livros foram adaptados para cinema, fazendo ele mesmo parte da equipa como realizador, guionista ou produtor. As suas obras, muito focadas no género de ficção científica, trouxeram à tona grandes clássicos do cinema, protagonizados por atores aclamados, o que ajudou na popularidade dos seus livros. Um dos exemplos mais conhecidos foi o revolucionário filme Jurassic Park, realizado por Steven Spielberg em 1993 e que viria a tornar-se um sucesso.

Muitas outras das suas obras tiveram o seu lugar na sétima arte, tais como The Lost World (a continuação de Jurassic Park), Congo, Rising Sun, Sphere e Timeline. Crichton foi também produtor e realizador de outras adaptações não baseadas em obras da sua autoria. Realizou o filme Coma, adaptado de um romance de Robin Cook, escreveu o roteiro de Extreme Close-Up e Twister e foi o criador e o produtor executivo da série ER, escrevendo apenas o episódio piloto.

Crichton era considerado um workaholic, lutando sempre para conseguir terminar os seus romances a tempo, chegando mesmo a dormir menos de quatro horas por dia. Foi casado cinco vezes, divorciando-se em quatro dessas vezes. A sua quarta esposa, a atriz Anne-Marie Martin, foi a única mulher com quem Crichton teve uma filha, nascida em 1989. Sherri Alexander, a sua quinta esposa, estava grávida de seis meses aquando a morte do escritor.

Michael Crichton morreu a 4 de novembro de 2008, vítima de cancro. No início do ano havia sido diagnosticado com um linfoma, doença que se manteve em segredo até à sua morte. Apesar de os médicos e a família acreditarem na sua recuperação, o escritor não resistiu à doença, acabando por morrer durante o tempo em que esteve em tratamentos.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Rita Latas
Rita Latas vai ser a primeira mulher a narrar um jogo da Primeira Liga