Aurélio Cunha

Aurélio Cunha lança livro sobre jornalismo de investigação em Portugal

Aurélio Cunha, ex-jornalista do Jornal de Notícias, lança hoje Um Repórter Inconveniente – Bastidores do Jornalismo de Investigação na Biblioteca Almeida Garrett, no Porto, por volta das 17h. A obra do jornalista retrata os bastidores do jornalismo de investigação num período pós-Salazarismo, com “histórias que mereciam ser contadas”.

A ideia para o livro, publicado pela Chiado Editora, começou com a esposa de Aurélio Cunha. As histórias do jornalista deviam estar publicadas para os seus netos conhecerem o seu percurso profissional mas, de acordo com o comunicado oficial, o jornalista contrariou durante muito tempo essa ideia.

B9vCzGaIUAAbonk

Ao terminar a colaboração com o jornal Expresso, em 2009, Ricardo Jorge Pinto desafiou-o a colocar um livros as histórias das suas reportagens. Mas, de acordo com o jornalista, a sua preocupação no momento em que a proposta foi lançada era “sarar as feridas provocadas pelas causas que me tinham levado à rescisão (junho de 2003) do contracto de trabalho com o Jornal de Notícias”.

A necessidade de escrever começou com a notícia de doença do filho. Escrever “talvez fosse uma arma a empunhar, para manter-me em pé”, afirma o jornalista. O percurso de Aurélio Cunha começou no Diário do Norte, em 1968. Ingressou a redação do Jornal de Notícias (JN) em 1973 e desvinculou-se como repórter principal em 2003. Para além de colaborações com outros meios de comunicação social, Aurélio Cunha foi delegado sindical do JN entre 1980 e 1981.

Um Repórter Inconveniente – Bastidores do Jornalismo de Investigação é agora publicado pela Chiado Editora e é lançado hoje no Porto, na Biblioteca Almeida Garrett, às 17h.