A Judaica realiza-se mais uma vez no Cinema São Jorge, de 4 a 8 de março, e estreia-se em Belmonte, de 7 a 10 de maio. O Espalha-Factos apresenta-te o programa do evento.

Depois do sucesso obtido no ano passado, este evento cultural está de volta à capital e estreia-se por terras albicastrenses, no Auditório Municipal e no Museu Judaico de Belmonte. A programação revela-se bastante ambiciosa, trazendo um total de 12 longas-metragens de ficção, entre as quais três antestreias nacionais, seis documentários, oito curtas e três sessões especiais.

Não só o cinema será celebrado como também a literatura. Na sessão de abertura, em Lisboa, estarão presentes Myriam Anissimov e Pedro Mexia para uma conversa em torno da celebração do lançamento do livro As Raízes do Céu, do escritor e piloto francês da Segunda Guerra Mundial, Romain Gary.

Os 70 anos que marcam o fim da Segunda Guerra serão também celebrados com duas antestreias nacionais. Labirinto de Mentiras chega da Alemanha para contar a história verídica da investigação levada a cabo por um jovem e ambicioso procurador que culminou com os chamados Julgamentos de Frankfurt-Auschwitz e que abalaram o país na década de 60.

Baseado na obra do escritor israelita Uri Orlev, Corre, Rapaz, Corre fala de um menino polaco de oito anos que foge do gueto e dos horrores da ocupação nazi em Varsóvia, em 1942. Trata-se também de uma história verídica.

Entre as curta-metragens também estarão temas ligados ao acontecimento, nomeadamente sobre o temível campo de concentração de Auschwitz, com Sapatos de Costa Fam e Depois do polaco Łukasz Konopa.

Na programação cinematográfica destaque ainda para o filme canadiano Felix e Meira, que gira em torno de amor e renúncia numa comunidade judia ortodoxa de Montreal, e duas das mais fortes obras do atualmente vigoroso cinema latino-americano – o venezuelano Escravo de Deus, que recria o atentado à bomba ao Centro Comunitário Judaico de Buenos Aires em 1994, e Kaplan, a comédia uruguaia que vai encerrar a Judaica e que conta a história de um homem de 76 anos de Montevidéu que pensa ter descoberto um antigo líder nazi refugiado num abandonado bar da praia dos arredores.

Em sessões especiais será ainda apresentado o roteiro que atravessa o país percorrendo os caminhos da presença judaica ao longo da história até à atualidade – em Rede de Judiarias em Portugal -, e o Rabino Schlomo Pereira marca presença para falar dos preceitos centenários do que é e o que representa na vida judaica o “Kosher”.

Em Belmonte, além de um Feira do Livro, o escritor e jornalista José Manuel Fajardo falará sobre Judaísmo, o Islão e o Laicismo.

Conhece o programa completo aqui.