Uma investigação levada a cabo por uma equipa da Universidade de Lanzhou, na China, obteve resultados surpreendentes. O artigo, publicado em janeiro deste ano, revelou que um composto do lúpulo, usado na produção de cerveja, pode evitar doenças neurodegenerativas.

Segundo a investigação, há fortes indícios de que o aparecimento de doenças com início no cérebro se relaciona com a oxidação de células neuronais. Assim, há que preveni-la. Mas como?

O xanthohumol, um composto do lúpulo, planta usada na produção de cerveja, chamou a atenção dos investigadores. Provido de propriedades antioxidantes, anticancerígenas e proteção do coração, este composto parece ser milagroso.

Jianguo Fang foi o “protagonista” deste estudo. Juntamente com os restantes investigadores da sua equipa, estudou os efeitos do xanthohumol no cérebro através de testes em laboratório.

A substância revelou-se bastante eficaz na proteção das células neuronais. Prevê-se, então, que seja futuramente utilizada em fármacos contra doenças neurodegenerativas, como o Parkinson ou o Alzheimer. Para já, podemos encontrá-la em bebidas como a cerveja.