De 6 a 14 de fevereiro, a Companhia Olga Roriz revisita alguns momentos dos seus 20 anos de existência. Com duas peças de reportório, uma conversa e mostra de filmes, este é o momento em que a bailarina e coreógrafa Olga Roriz comemora também  40 anos de carreira. Durante duas semanas, o São Luiz Teatro Municipal acolhe Companhia Olga Roriz- Retrospectiva. Ao longo do ano, as celebrações irão estender-se a outros Teatros.

A Cidade

Nos dias 6 e 7 de fevereiro, a Companhia apresenta A Cidade. Depois da estreia em 2012, no Teatro Camões, a Companhia volta a revisitar esta peça.

A peça questiona as relações vividas pelo indivíduo urbano. A solidão, a pressão, a contaminação e a liberdade são algumas das palavras que surgem na busca pelo sentido da vida na cidade. A partir daí, revivem-se memórias de momentos traçados individualmente. O texto sobre a peça confirma a procura pela condição humana feita em palco:

“Lugares e pessoas comuns para cenas ora banais e quotidianas, ora invulgares e complexas. Um desfilar de momentos solitários, sem passado nem futuro, suspensos num curto tempo de vida em quadros vividos ou imaginados.”

Em palco, estarão os intérpretes Sylvia Rijmer, Maria Cerveira, Bruno Alexandre e Bruno Alves. A seleção musical feita por Olga Roriz e João Raposo inclui Korke, Henry Torgue, Max Richter, Romica Puceanu, John Zorm, Autechre, Ali Hassan Kuban, Zoe Keating e Kut Killer. O cenário pertence a Pedro Santiago Cal e o desenho de luz a Cristina Piedade.

A peça será apresentada nos dois dias às 21h00, na Sala Principal. O preço dos bilhetes situa-se entre os €12 e os  €15 (com descontos: €5 a €10,50).

Consulta mais informações, aqui.

 

Conversa

No sábado (7 de fevereiro),pelas 18h30,  João Carneiro (jornalista e crítico de arte) e Daniel Tércio (professor e ensaísta), irão sentar-se no Jardim de Inverno para conversar sobre o percurso da coreógrafa. A conversa será moderada pela nova diretora artística do São Luíz Aida Tavares. A entrada é livre.

olga roriz

Mostra de filmes

De 11 a 14 de fevereiro, será a vez do Teatro- Estúdio Mário Viegas acolher as celebrações. De quarta a sexta, às 18h30, irão ser reproduzidos filmes das peças da Companhia de 1995 a 2014. A entrada é livre.

  • 1995 | Introdução ao Princípio das Coisas II, Finisterra II
  •  1996 | Propriedade Privada
  •  1998 | Anjos, Arcanjos, Serafins, Querubins,… E Potestades, Propriedade Pública
  •  2000 | Os Olhos de Gulay Cabbar
  •  2001 | Código md8
  •  2002 | Não Destruam Os Mal-Me-Queres
  • 2003 | Jump-Up-And-Kiss-Me
  •  2004 | Jardim de Inverno II, Confidencial
  •  2005 | O Amor Ao Canto Do Bar Vestido De Negro
  •  2006 | Daqui Em Diante
  •  2007 | Paraíso
  •  2008 | Inferno
  •  2009 | Nortada
  •  2010 | Electra, A Sagração da Primavera
  •  2013| A Sagração da Primavera-Solo
  •  2014 | Terra

PETS

De 13 a 14 de fevereiro, as comemorações voltam à Sala Principal com a peça PETS. Neste espetáculo explora-se o inatingível: o jogo de poderes, a sedução, o desejo e a procura  sobre quem realmente somos e o domínio que exercemos ou exercem sobre nós.

Brincar como se fosse ao acaso. Homens e mulheres afeiçoados por si próprios. Auto-domesticados. Selvagens. Um espaço interior com paredes, portas e janelas imaginárias. A luz é apenas uma memória. O som da cidade decepou-se no tempo. A clausura torna-se real.
São Castro, Maria Cerveira, Marta Lobato Faria, Bruno Alexandre e Bruno Alves são os intérpretes da peça. Cristina Piedade é a responsável pelo desenho de luz. A peça inclui uma seleção musical com Arvo Pärt, Bonobo, Bebe, Caverna, Carlos Gardel, Eleni Karaindrou, Gotan Project, Joan Jeanrenaud, Jonny Greenwood, Pink Martini, The Chemical Brothers Wax Poetic.
O espetáculo tem início pelas 21h00. O preço dos bilhetes situa-se entre os €12 e os  €15 (com descontos: €5 a €10,50).
Consulta mais informações, aqui.