A Google vai deixar de vender ao público o modelo de óculos inteligente, os Google Glass. Esta decisão entra em vigor nos Estados Unidos já a partir do dia 19 de janeiro.

Os Google Glass começaram a ser vendidos a empresas e investigadores em 2013, e só em 2014 é que saltaram para o mercado tecnológico como uma das mais inovadoras ferramentas de realidade aumentada. No entanto, o projeto sai da área Google X e, passará para uma equipa independente, onde vai continuar em desenvolvimento. Esta equipa será liderada por Tony Fadell, que comanda os Nest Labs (adquiridos pelo Google) que desenvolve dispositivos inteligentes para a casa, e por Ivy Ross, a responsável pelo novo visual do dispositivo.

Não se sabe se estará previsto o lançamento de uma nova versão do dispositivo Glass. A única certeza é de que a Google vai continuar a prestar apoio às empresas que investiram nos Google Glass. Na página oficial do Google Plus, a equipa de desenvolvimento do Google Glass agradece aos chamados Explorers, aqueles que compraram e apostaram na tecnologia destes óculos inteligentes. Pedimo-vos para serem pioneiros, e vocês pegaram naquilo que começámos e foram mais longe do que alguma vez sonhámos“, lia-se no comunicado publicado na página.

O aparelho foi bastante criticado por invadir a privacidade das pessoas, que podiam ser fotografadas sem consentimento, e até mesmo posto em causa devido à falta de utilidade e aplicações dos óculos.