The Interview está online. Depois do hack, das ameaças terroristas e da estreia cancelada, a Sony lançou o filme, nos cinemas e na web. Aquela que podia ser mais uma comédia com James Franco e Seth Rogen, saltou para as primeiras páginas, lançou um movimento pela liberdade de imprensa e deitou mais achas para a sempre quente fogueira diplomática entre Coreia do Norte e Estados Unidos da América.

Depois de visto o filme em causa… não valia a pena tanto. Se é verdade que os hackers Guardians of Peace foram mandatados por Kim Jong-Un para lançar o pânico em Hollywood e impedir que a película chegasse às salas, a verdade é que o líder norte-coreano percebe realmente pouco sobre a realidade ocidental e teria ganho em não fazer nada a não ser ver o quão pouco criativa se tornou a indústria cinematográfica norte-americana.

Tentar censurar este filme foi dar-lhe uma dimensão que ele nunca teria em condições normais. É uma comédia banal que em pouco difere dos outros filmes com Seth Rogen e James Franco. Aos habituais innuendos sexuais e humor físico em demasia, juntam-se referências excessivas a’O Senhor dos Anéis e personagens monodimensionais e caricatas.

James Franco

A bomba nuclear pariu uma flatulência

A crítica a uma sociedade americana obcecada com celebridades, misturando de forma provocatória qualquer coisa de Argo e um outro tanto de Frost/Nixon soava bem. Reconhecendo aqui um bom ponto de partida, somos obrigados a ver também que o output é frustrante: James Franco interpreta Dave de forma exagerada, inverosímil e irritante, o argumento é um disparar de clichés e Seth Rogen é igual ao Seth Rogen de todos os outros filmes que fez.

Levar The Interview a sério parece mesmo algo que só alguém sem sentido de humor faria. E alguém que é estraga-prazeres. Fazer aguardar com expectativa e curiosidade, como algo digno de ser censurado, um filme destes, é encaminhar a experiência cinéfila dos espectadores para uma inevitável deceção.

Não há rasgo de genialidade, não há imprevisibilidade, não há nada disruptivo. É ideal para ver com um grupo de amigos, aqueles mesmos com quem vimos American Pie, e mostra um Kim Jong-Un obviamente caricaturado, mas que até acaba por ser humanizado. Não é nenhuma declaração de guerra, nem o Great Dictator do séc. XXI que muitos tentaram fazer parecer.

Seth Rogen;James Franco;Lizzy Caplan

É um enredo centrado no bromance das duas personagens principais, com gore e referências anais em dose suficiente para merecer bolinha vermelha. Tem um Kim Jong-Un cuja maior referência literária é Katy Perry e até mostra um outing de Eminem. Evan Goldberg e Seth Rogen, responsáveis pela realização, põem toda a carne no assador, provavelmente para justificar os 45 milhões de dólares gastos no filme, mas deixam-na demasiado tempo a grelhar.

No entanto, a liberdade de expressão foi feita para isto mesmo: Posso não me rir das tuas piadas, mas defenderei até à morte o teu direito a dizê-las.

 5/10

Ficha Técnica:
Título: The Interview
Realizador: Evan Goldberg e Seth Rogen
Argumento: Dan Sterling, Seth Rogen e Evan Goldberg
Elenco: James Franco, Seth Rogen, Lizzy Caplan, Randall Park
Género: Comédia
Duração: 152 minutos