Robbie Williams, considerado um dos maiores ícones de sempre da música britânica, pode ter chegado àquela fase em que um artista acha que deve pousar o microfone e explorar novos horizontes. Pelo menos foi isso que o cantor de 40 anos deu a entender no vídeo que partilhou ontem na sua página no Facebook, onde as suas novas funções como pai de duas crianças o levam a querer uma vida mais com “um emprego a sério”. Ou então tudo isto é um grande ‘jajão’.

Let me Entertain You, Angels e Feel. Estas são três das muitas músicas que catapultaram Robbie Williams para o estrelato no final do século passado, mas agora, o veterano cantor, com 40 anos, poderá estar a fechar aquele que foi um dos mais importantes capítulos. O alarme surgiu com a publicação de um vídeo no Facebook, onde Robbie dizia ter um “grande anúncio para fazer”.

Sem título

Robbie Williams confessou estar então “a ficar um bocado farto desta vida de estrela pop” e que, apesar de uma “carreira fantástica”, chegou a altura de “fazer algo diferente“, algo que passa por conseguir “um emprego a sério” pelo facto de, em outubro deste ano, se ter tornado pai do seu segundo filho.

“Já pensei em opções e ocorreu-me em futebol, mas depois percebi que sou velho. Moda? Sou muito gordo. Mas depois pensei: a Alemanha tem grandes carros. Liguem-me!”, concluiu o cantor, que lançou no início deste mês o álbum “Under the Radar Volume 1”, que reúne grande parte das músicas que ‘não foram cabendo’ no alinhamento de álbuns anteriores.

Contudo, é provável que este vídeo não tenha surgido apenas de um grande momento de aborrecimento por parte de Robbie Williams, já que a sua tour de 2015, apelidada de Let me Entertain You, tem já concertos marcados até ao dia 2 de Maio. Talvez no mundo da fama não seja difícil entrar, mas sim sair.

  • Desemprego é coisa que não lhe assiste

Ele até pode nem querer realmente sair da indústria da música, mas a verdade é que já choviam propostas de emprego a Robbie Williams nos cerca de dois mil comentários. Um deles era da página oficial da equipa do Borussia Dortmund, que parece não se importar com a falta de forma física do cantor, ao passo que a IKEA de Holanda lhe prometia um emprego aparentemente mais relaxante.

Sem título

No que toca ao mercado automóvel, a Mercedes e a Volkswagem foram das principais marcar a chegarem-se à frente, mas até mesmo a Crocs e a Radio Energy ofereceram um lugar especial ao britânico, que parece nunca vir a sofrer com as altas taxas de desemprego que se sentem da Europa. Não é para todos.