liliana lavado

Encontro em Itália: o segundo livro de L. C. Lavado sem encanto

Liliana Lavado, mais conhecida como L. C. Lavado, lançou o segundo livro, Encontro em Itália, pela Marcador depois do sucesso de Inverno de Sombras. Integrado na iniciativa Livros RTP, conta a história de Henrique e Sara e as mudanças provocadas por uma viagem, com magia à mistura, em Itália. A sinopse prometia uma boa história e qualidade literária mas o tiro saiu pela culatra à escritora.

Para todos os que conhecem a escritora Liliana Lavado – apresentada, em outras publicações, como L. C. Lavado – sabem que as suas histórias giram à volta de universos mágicos. A cada história imaginada pela autora há lógica e também suavidade, ao longo das páginas, para não apanhar o leitor desprevenido. O percurso de Liliana Lavado começou pelo contacto com leitores, detentores de blogues literários ou de contas em redes sociais como o Goodreads, para mostrar os enredos criados e obter opiniões para melhorar cada um deles. Desta forma, cada leitor foi uma mais valia para cada livro da escritora. O sucesso das histórias de fantasia de L. C. Lavado começaram a fazer sucesso, os seguidores nas redes sociais surgiram a um ritmo acelerado e o primeiro fruto nasceu pela Marcador, chancela da Editorial Presença: Inverno de Sombras.

Aut012843_f

O primeiro livro de L. C. Lavado, editado por uma editora reconhecida no meio português, obteve muito boas críticas pelos leitores e pelos meios de comunicação social (podes ler aqui o artigo de opinião publicado no Espalha-Factos) e a rampa foi lançada para a autora escrever mais dentro de um género não tão valorizado pelo mercado literário português, seja pelas editoras seja pelos leitores. Escritores portugueses de literatura fantástica, nos últimos anos, surgiram e desapareceram com a mesma intensidade e no mesmo ápice. Pela força de vontade transmitida por Liliana, existia uma confiança na qualidade dos livros a serem editados no futuro. Talvez por expectativas elevadas, a confiança terminou a meio da leitura de Encontro em Itália, segundo livro publicado pela Marcador e integrado na iniciativa Livros RTP (ver artigos de opinião a Raquel Ochoa e Célia Correia Loureiro, com obras integradas na iniciativa).

Comecemos pela capa e pelo título: ao contrário de como se apresenta, Encontro em Itália não é um simples romance colocado num plano real. Não se limita unicamente a uma história de amor, com dois protagonistas a serem impedidos de viver o seu amor por um vilão ou pela família. São decisões que, normalmente, estão longe do alcance de um jovem escritor, acabado de ser lançado no mercado literário mas a capa e o título é o primeiro contacto com o leitor e, neste caso, são dois enganos aos leitores. Na altura do lançamento, na Feira do Livro de Lisboa de 2014, achei estranho a L. C. Lavado ter lançado uma história de amor, com duas personagens num beijo romântico, sem qualquer toque de magia como lhe é habitual até começar a ler os comentários e as críticas nas redes sociais. A magia estava presente mas camuflada, o que pode ser motivo de desconfiança para qualquer leitor. Críticas na sua maioria positivas e que me levaram com agrado ao universo deste Encontro em Itália.

Captura de ecrã 2014-11-11, às 13.06.33

Henrique é estudante finalista de Literatura Inglesa no Reino Unido e vê-se perante a possibilidade de voltar a mudar de país, quando é convidado a ser professor convidado nos Estados Unidos. Deixou Portugal pelos estudos e os seus pais foram para Angola, em busca de mais possibilidades financeiras negadas em terras portuguesas. Sara pertence a uma classe alta portuguesa e vive numa pequena casa, ao pé da piscina da mansão onde vivem os pais e a irmã. Refugia-se para escrever o seu primeiro romance mas vê que não o vai conseguir terminar antes do prazo estipulado pelo pai devido às más companhias e às noites de álcool em que se mete.

Há aqui uma incapacidade de me identificar com qualquer uma das personagens da minha parte. Vivem quase num universo à parte, em mansões luxuosas e uma vida financeira estável – quase deixada de lado e que pode passar sem questionamento – e são infantis. Especialmente os protagonistas, apresentados na maioria das vezes por diálogos mal construídos. Sara não sabe o que fazer da vida, não se vê a conseguir concretizar o sonho de ser escritora e por isso refugia-se num grupo suspeito e nos braços do dono de um bar violento, obcecado por ela.

Há má caraterização das personagens, estão longe de ser aprofundadas ao longo da leitura. O enredo também apresenta deficiências, longe de ser colocado na realidade pelas atitudes descabidas das personagens. Henrique regressa a Portugal para viajar com Sara, depois de anos sem falarem, devido a uma promessa que fizeram antes do protagonista viajar para o Reino Unido. Os dois acabam por viajar, com Henrique a ter sentimentos por Isabel, irmã da protagonista, e de um momento para o outro um livro mágico é-lhes colocado à frente, sem qualquer explicação, quase de rompante sem uma preparação prévia. Apesar do género de fantasia oferecer liberdade ao escritor, é necessário ter em conta a lógica por detrás da história e não há nenhuma neste Encontro em Itália. É um tiro falhado pelas mãos de Liliana Lavado devido às más personagens, história e explicações.

Encontro em Itália tinha todos os ingredientes para ser uma obra de qualidade e de sucesso, como Inverno de Sombras, mas é uma falha na maioria dos campos. As personagens e o seu enredo são o maior pecado de toda a obra. Os segundos livros para qualquer escritor são críticos: ou fidelizam leitores ou mandam-nos embora. Este Encontro em Itália está longe de fidelizar leitores mas mantém a curiosidade para o próximo livro, não fossem os anteriores de Liliana Lavado cheios de qualidade.

Nota final: 4/10

Sobre o livro:

Autor: L. C. Lavado

Páginas: 488

Editora: Marcador

Lançamento: 17/junho/2014

Mais Artigos
Movimento #Naopartilhes
Movimento #NaoPartilhes: “não pode haver impunidade para quem compactua com este crime”