O que é a Ideologia? Será que ela está assim tão presente nos nossos dias? Estas são as principais questões que O Guia de Ideologia do Depravado, um dos documentários mais cativantes e inteligentes do ano, pretende responder. Estreia hoje em Portugal.

Servindo de sequela ao O Guia de Cinema do Depravado, que analisava a filosofia dentro de alguns dos filmes mais famosos da história, O Guia de Ideologia do Depravado foca-se agora totalmente no tópico da Ideologia presente em várias obras da sétima arte e volta a contar com a visão e as teorias do aclamado filósofo esloveno Slavoj Zizek, argumentista e apresentador do documentário.

O documentário trata um tema à partida não muito chamativo, que há de levar muitas pessoas a pensar que vão assistir a uma verdadeira e aborrecida aula de Filosofia em formato de longa-metragem. Mas são muitos os fatores que fazem de O Guia de Ideologia do Depravado um filme bastante curioso, que consegue agarrar o lado mais cativante da Ideologia e apresentá-lo de forma incrivelmente interessante.

O primeiro e mais importante é a utilização de vários filmes clássicos, desde Tubarão até Laranja Mecânica, como exemplos da presença da Ideologia na nossa cultura. Slavoj Zizek mostra como as suas características estão presentes nalgumas das nossas obras favoritas, evidenciando o que têm em comum A Desaparecida de John Ford  e Taxi Driver de Martin Scorsese e explicando o verdadeiro significado de alguns temas musicais de West Side Story e Música no Coração.

Slavoj Zizek tem um sentido de humor bastante perspicaz e o seu carisma natural tornam o seu discurso muito cativante. Recorrendo, para além de cenas clássicas do cinema, às mais variadíssimas referências da cultura pop, musicais e até filosóficas, o esloveno vai expondo a nossa inevitável mas por vezes impercetível relação com a Ideologia, falando ainda de outros temas relacionados com este conceito, como a religião ou o comportamento da sociedade, naqueles que são os segmentos mais ousados e polémicos da fita.

Ninguém poderá rever alguns dos seus filmes preferidos (ou beber um café no Starbucks, ou ouvir Beethoven, etc.) com os mesmos olhos após a visualização de O Guia de Ideologia do Depravado, já que o documentário expõe as metáforas e as referências históricas que, por exemplo, Tubarão tem com o capitalismo. Não é possível afirmar se estas metáforas são voluntárias ou não (algumas parecem algo forçadas), mas Zizek consegue entretém-nos enquanto as explica e prende-nos ao ecrã com os seus monólogos que, podendo não ser totalmente verdadeiros, são muito divertidos.

Para fazer a apresentação das ideias ainda mais interessante, a realizadora Sophie Fiennes recria minuciosamente os cenários dos filmes analisados. A fotografia, os ângulos das câmaras e até o guarda roupa das algumas obras dissecadas no documentário são copiados rigorosamente, fazendo com que a tese de Zizek seja tanto eficaz na exposição dos seus argumentos como também agradável aos olhos.

E tal como O Acto de Matar ou 20,000 Dias na Terra, O Guia de Ideologia do Depravado é um dos documentários mais inovadores e cativantes de 2014, quer em forma quer em conteúdo. Coloca inúmeras questões que nunca perguntaríamos e oferece respostas ilustradas primorosamente à medida que relaciona a Ideologia com o cinema e a nossa cultura.

8/10

Ficha Técnica

Título: The Pervert’s Guide to Ideology

Realizador: Sophie Fiennes

Argumento: Slavoj Zizek

Elenco: Slavoj Zizek

Género: Documentário

Duração: 130 minutos