A Companhia de Teatro de Almada, em coprodução com o Teatro Nacional D. Maria II, apresenta uma nova criação baseada na vida e obra de Ernest Hemingway. Kilimanjaro é o nome do espetáculo, protagonizado por Pedro Lima, que vai para cena no Teatro Municipal Joaquim Benite, em Almada, a 5 de dezembro e que, em junho do próximo ano, subirá também ao palco da Sala Garrett do Teatro Nacional, em Lisboa.

Uma série de contos do escritor norte-americano são compilados num único texto dramático, criado e encenado por Rodrigo Francisco. Kilimanjaro segue Harry, um alter-ego de Hemingway, que irá revisitar vários episódios do seu passado – «recordações de infância, de guerra, de amizade e camaradagem e histórias de mulheres» – enquanto espera por um avião que nunca chegará. Ao seu lado está Helen, uma mulher rica que sustenta a vida que leva Harry a esquecer-se de que não escreve.

«Viajar pelo universo de Hemingway em contexto de teatro é uma oportunidade única. Não há tradição de levar Hemingway à cena porque o autor não se dedicou ao texto dramático, no entanto, os seus romances, contos e outras narrativas estão recheados de pérolas que configuram cenas com potencial dramático», afirma Pedro Lima, em comunicado de imprensa.

Kilimanjaro, cujo nome provém de um dos contos mais sinceros de Hemingway, As neves do Kilimanjaro, é trabalhado de forma a evocar a História da primeira metade do século XX e retratar a divisão do artista entre a vida que viveu e a dedicação completa à arte que poderia ter vivido.

Em cena de 5 a 14 de dezembro na Sala Principal do Teatro Municipal Joaquim Benite, esta apresenta um elenco de peso, composto por: Ana Cris, Duarte Guimarães, Elias Nazaré, João Farraia, João Tempera, Luís Vicente, Miguel Martins, Pedro Lima, Pedro Walter e Rita Loureiro.

A peça será reposta na mesma Sala, ainda antes de se mudar para o TNDMII, de 23 de janeiro a 8 de fevereiro de 2015.

Kilimanjaro pode ser vista de quarta a sábado, pelas 21h30, e ao domigo, pelas 16h. Os preços variam entre os 6€ e os 13€.