“Espacios Ocultos”, Espaços Ocultos em tradução livre, é o título do trabalho realizado por Jose Manuel Ballester que teve como base um conjunto de pinturas dos mestres da história da arte ocidental. Recorrendo à manipulação digital, o artista apagou todos os seres vivos dos quadros, destacando, assim, os espaços escondidos e normalmente despercebidos nas pinturas.

Ao combinar as novas tecnologias com a arte, o pintor e fotógrafo espanhol convida as pessoas a apreciarem estas obras-primas de uma nova perspetiva destacando os fundos, as paisagens, a natureza e a arquitetura, em detrimento das personagens que normalmente ocupavam o papel central nas pinturas.

O artista pretende que se criem novas interpretações das histórias já conhecidas, isto é, que cada novo espaço vazio se torne num terreno suscetível a descobertas. Pode-se destacar que, muitos dos quadros, ao sofrerem esta transformação, ganham uma maior expressividade, demarcada pelo cariz dramático dos objetos que permanecem nas pinturas.

O Nascimento de Vénus (Sandro Botticelli, 1486)

O Nascimento de Vénus (Sandro Botticelli, 1486) Jose Ballester

A Última Ceia (Leonardo da Vinci, 1497)

A Útltima Ceia (Leonardo da Vinci, 1497)

A Crucificação de Jesus Cristo (Diego Velásquez, 1632)

A Crucificação de Jesus Cristo (Diego Velásquez, 1632) Jose Ballester

As Meninas (Diego Velásquez, 1656)

As Meninas (Diego Velásquez, 1656) Jose Ballester

A Arte da Pintura (Jan Vermeer, 1665-1667)

A Arte da Pintura (Jan Vermeer, 1665-1667) Jose Ballester

O Fuzilamento do 3 de maio de 1808 (Francisco Goya, 1814)

O Fuzilamento do 3 de maio de 1808 (Francisco Goya, 1814) - Jose Ballester

A Jangada da Medusa (Théodore Géricault, 1818 -1819)

A Jangada da Medusa (Théodore Géricault, 1818 -1819) - Jose Ballester

Guernica (Pablo Picasso, 1937)

Guernica - (Pablo Picasso, 1937) Jose Ballester