Uma das cadeias de cinema tailandesas, a Apex Group, não irá exibir o terceiro filme de The Hunger Games nas suas salas. A decisão da empresa foi tomada alguns dias após a detenção de cinco estudantes universitários que, durante uma conferência dada pelo primeiro-ministro do seu país, levantaram-se e ergueram as mãos com três dedos levantados, reproduzindo o gesto que Katniss usa nos filmes para protestar contra o Capitólio e apelar à rebelião dos distritos.

Este é um caso em que a vida imita a arte. A 2 de maio, as Forças Armadas Reais da Tailândia, lideradas pelo atual primeiro-ministro Prayuth Chan-ocha, levaram a cabo um golpe de estado. Desde essa altura, o povo tailandês tem sido vítima de uma forte repressão, num país onde a lei marcial, toque de recolher obrigatório e a censura dos media são uma realidade. Apesar de o governo ter afirmado que estas medidas são apenas temporárias, e que servem para acelerar o processo de reinstauração da democracia, a população anseia por mudança, como demonstraram estes jovens manifestantes.

o-KATNISS-facebook

O grupo Apex garante que a suspensão do filmes nos seus cinemas não foi uma decisão impingida pelas autoridades tailandesas, mas sim a solução encontrada pelo grupo para evitar que as suas salas se tornassem palcos de protestos ou movimentos políticos. Apesar desta ser uma medida diplomaticamente segura, irá trazer grande prejuízo para o grupo, que perderá as receitas da venda de bilhetes para aquele que será um dos filmes mais lucrativos deste ano.

Thailand Politics

Protesto em junho deste ano, num centro comercial tailandês

Os cinco estudantes universitários assistiam a um discurso dado pelo primeiro-ministro na passada quarta-feira, quando procederam com o protesto. Para além de imitarem o gesto de Katniss, usaram t-shirts com a frase “Nós não queremos o golpe“, referindo-se ao golpe de estado de maio. Os jovens foram detidos e transportados até um campo militar para um “reajuste de atitude“, e terão assinado um contrato onde se comprometem a nunca mais participar em protestos políticos, correndo o risco de serem expulsos das suas universidades e presos caso desobedeçam a essa regra. Foram soltos algumas horas depois.

Ativista é detida por polícias à paisana, num dos cinemas onde o filme passava

Ativista é detida por polícias à paisana, num dos cinemas onde o filme passava

Este caso não é isolado. Em junho deste ano, vários protestantes tailandeses fizeram o gesto de Katniss numa manifestação silenciosa contra o governo e a proibição de protestos políticos. Na passada quinta-feira, outros três estudantes reproduziram o gesto e foram prontamente detidos, mesmo à porta de um dos cinemas onde o filme iria ser exibido.