A Nokia anunciou hoje o regresso aos mercados de consumo com um novo tablet, com sistema operativo Android. Depois do primeiro casamento entre a marca finlandesa e a gigante norte-americana, que acabou por resultar no desapontante Nokia X, a Nokia parece querer reatar a relação e apresentou hoje, no evento Slush, na Finlândia, o Nokia N1, um tablet que alia o poder de construção ao melhor que um software tem hoje em dia para oferecer.

O evento havia sido anunciado há poucos dias e, na imagem promocional, aparecia nada mais do que uma caixa preta com o logo da Nokia. A surpresa foi revelada bem cedo no dia de hoje e dentro da caixa estava o Nokia N1, que marca o regresso da antiga gigante das telecomunicações a um mercado que é hoje em dia liderado por empresas como a Apple e Samsung.

  • Dimensões: 200.7 x 138.6 x 6.9 mm, 318 gramas
  • Sistema operativo: Android 5.0, Lollipop (Z Launcher)
  • Ecrã: 7,9 polegadas com Gorilla Glass 3
  • Resolução: 1536×2048 píxeis, 324 píxeis por polegada(ppi)
  • Câmara traseira: 8 megapíxeis
  • Câmara frontal: 5 megapíxeis
  • Processador: Intel Atom quad-core, a 2,3 GHz
  • Memória RAM: 2 GB
  • Memória interna: 32 GB (MicroSD até 128 GB)
  • Bateria: 5300 mAh

O principal motivo de atenção deste terminal prende-se com o seu sistema operativo. A Microsoft comprou a secção de smartphones da Nokia, mas não tem voto na matéria no que aos outros departamentos diz respeito, e então a empresa europeia marcou bem a sua posição ao inserir a última versão do Android no N1.

nokia-n1-5

Se outras empresas têm a TouchWiz ou o Sense UI, já a ‘máscara’ (design) da Nokia é o Z Launcher, um modo mais fácil de aproveitar o sistema operativo em equipamentos desta categoria, já que ‘estuda’ as aplicações mais frequentemente utilizadas durante o dia para oferecer um acesso mais rápido.

Sem título

De resto, aparelho parece reunir a boa imagem do sistema operativo mais recente a Google com a qualidade de construção a que a Nokia nos foi habituando. O corpo do Nokia N1 é todo em alumínio e o seu tamanho do ecrã, que apresenta um com número de pixeis por polegada, coloca-o em luta direta com o Nexus 9 e o iPad Mini, acabando o N1 por sair em vantagem pelo facto de ser relativamente mais fino.

Sem título

Já no seu interior mora um processador de 64-bits, da Intel, que, aliado aos 2 GB de memória RAM, deverá proporcionar uma experiência agradável ao utilizador quando chega a altura de rodar as aplicações mais pesadas. A Nokia promete ainda uma utilização generosa de nove horas com um único carregamento. A câmara traseira não é apoiada por um flash LED mas é capaz de filmar em 1080p. Este dispositivo será ainda o primeiro com ligação USB reversível tipo-C.

Com um preço estimado de 249 dólares, o Nokia N1 tem previsão de chegada aos mercados para fevereiro do próximo ano. Contudo, as más notícias são que deverá ser lançado inicialmente na China, prosseguindo depois a Rússia e outros países europeus. Ainda não há previsão de chegada a Portugal.