A exposição A Galeria Humana colocou pessoas no lugar de quadros, atribuindo um lugar de destaque a corpos tatuados que são verdadeiras obras de arte.

A mostra decorreu na galeria Riflemaker, em Londres. Tendo por base a celebração do início da Convenção Internacional de Tattoos, os curadores (e tatuadores) Cally-Jo e Lal Hardy percorreram os quatro cantos do mundo em busca dos melhores trabalhos gravados na pele. O resultado foi a primeira galeria humana dedicada ao universo das tatuagens.

A grande maioria dos modelos presentes na exposição são também tatuadores, reforçando a ideia de que o corpo é a tela mais pessoal e íntima que podemos encontrar. Desde tattoos minimalistas a obras inspiradas no cubismo ou pinturas tradicionais japonesas, os trabalhos impressionaram o público que pôde observar de perto uma forma de arte que já se afastou do carácter marginal e é agora fonte de inspiração a nível global.