Mensalmente, o Espalha-Factos irá passar a dar destaque um autor. Numa rubrica intitulada ‘Autor do Mês’, serão publicados artigos relacionados com o escritor escolhido. Pela ocasião do recente lançamento do seu novo livro, José Luís Peixoto é o autor agraciado por esse estatuto em novembro.

Nascido a 4 de setembro de 1974, em Galveias (que é, aliás, o nome do seu novo romance), tem uma imagem que marca pela diferença e pela irreverência: vários piercings e uma simplicidade no falar e no escrever que lembra ainda a criança que nasceu no Alentejo e que nunca se desligou das suas raízes.

Imagem 055

Licenciou-se em Línguas e Literaturas Modernas (Inglês e Alemão) pela Universidade Nova de Lisboa. Antes de se dedicar profissionalmente à escrita, em 2000, trabalhou como professor na cidade da Praia (Cabo Verde) e em várias cidades portuguesas.

Morreste-me, texto que deu a conhecer o jovem escritor, é uma obra, apesar da sua pequena dimensão, intensa, avassaladora e comovente: o relato da morte do pai e do seu luto, e, simultaneamente, uma homenagem, uma memória redentora.

Esta sua entrada no universo literário foi tudo menos discreta. Em pouco mais de uma década, a sua obra ficcional e poética passou a figurar em dezenas de antologias traduzidas num vasto número de idiomas e a ser estudada em inúmeras universidades, quer nacionais, quer estrangeiras.

José Luís Peixoto autografa livros oferecidos aos convidados

Em 2001, recebeu o Prémio Literário José Saramago com o romance Nenhum Olhar, que foi incluído na lista do Financial Times dos melhores livros publicados em Inglaterra no ano de 2007, tendo também sido incluído no programa Discover Great New Writers das livrarias norte-americanas Barnes & Noble.

O seu primeiro livro de poesia, A Criança em Ruínas, ganhou o Prémio da Sociedade Portuguesa de Autores para o melhor livro desse género literário.

Em 2006, publicou o romance Cemitério de Pianos .Em 2007, em Saragoça, este romance recebeu o Prémio Cálamo – Otra Mirada, atribuído ao melhor romance estrangeiro publicado em Espanha nesse ano. Este mesmo romance foi também finalista do prémio Portugal Telecom (Brasil) e do International Impac Dublin Literary Award (Irlanda).

Em 2008, recebeu o Prémio de Poesia Daniel Faria com o livro Gaveta de Papéis. Em 2010, o seu romance Livro venceu o prémio Libro d’Europa, em Itália, e foi finalista do prémio Femina, em França. Em 2012, publicou Dentro do Segredo, Uma Viagem na Coreia do Norte, a sua primeira e muito mediática incursão na literatura de viagens.

peixoto-coreia-3239

Os seus romances foram publicados pelas editoras mais célebres e prestigiadas de diversos países, como é o caso da Bloomsbury (Reino Unido), Doubleday/Random House (Estados Unidos), Grasset e Folio/Gallimard (França), Einaudi (Itália), Record e Companhia das Letras (Brasil), entre variadíssimas outras.