A Companhia de Dança de Almada já atraiu cerca de 6.000 espectadores na sua digressão pela China. Jogos de Letras e Casa do Rio são as duas peças responsáveis por esta afluência.

Em declarações à Lusa, a diretora da Companhia de Dança de Almada, Maria Franco, confirmou o sucesso: “Nunca atuámos em espaços com tanta gente. Estamos muito contentes com a receção.” Maria Franco apenas lamentou a contenção dos aplausos do público chinês.

Esta é a primeira digressão da companhia na China. O convite partiu de um produtor local chinês que observou o trabalho da mesma através da internet. O primeiro espetáculo realizou-se em Hanzghou, no dia 31 de outubro. O fim desta passagem pela China será no dia 16 de novembro, em Pequim.

Ambas baseadas em dança contemporânea, as duas peças da companhia são muito distintas. Jogos de Letras, coreografada por Nuno Gomes, é dedicada a crianças e educadores. Com base no livro Estas São as Letras de Mário Castrim, a peça faz uma viagem pelo alfabeto. O público torna-se determinante neste espetáculo, quando é chamado para palco.

Esta peça também será apresentada no Festival Internacional de Artes em Xangai, nos dias 8 e 9 de novembro. O festival contará com conceituadas companhias da Holanda, Dinamarca, França ou da Espanha, o que prestigia a participação da companhia portuguesa.

Casa do Rio foi coreografada por Benvindo Fonseca, que revisitou as suas raízes em busca de uma identidade, a sua casa. Inspirada na música tradicional portuguesa, esta peça tem influências dos pauliteiros de Miranda, da chula, do corridinho do Algarve, do fandango e  das danças do Minho.

A Companhia de Dança de Almada foi fundada em 1990, com o apoio da autarquia de Almada. Além da criação e internacionalização de peças para a companhia profissional, tem desenvolvido um intensivo trabalho junto da população. Cursos livres, cursos vocacionais, workshops, ou ações de sensibilização são algumas das atividades sugeridas pela companhia.