O anterior preço pago por uma obra do pintor francês Edouard Manet quase duplicou com a venda de A Primavera, retrato de perfil da atriz Jeanne Demarsy. A obra-prima, que data de 1881, foi vendida na passada quarta-feira por 65,13 milhões de dólares (cerca de 52 milhões de euros).

A licitação foi feita num leilão da Christie’s, em Nova Iorque. Até à data, o preço máximo para uma obra de Manet era de 33 milhões de dólares (cerca de 26 milhões de euros) por um autorretrato vendido num leilão em Londres no ano de 2010.

O comprador, que se encontrava na primeira fila, conseguiu superar as ofertas feitas por telefone e estabeleceu assim um novo recorde de preço,  65,13 milhões de dólares (cerca de 52 milhões de euros), para uma obra do artista impressionista.

A Primavera pertenceu à mesma família durante mais de um século, tendo sido exibida pela Galeria Nacional de Arte de Washington nas últimas duas décadas.

A obra insere-se num projecto que Manet não conseguiu terminar. O objectivo era elaborar quatro retratos de  mulheres que representassem cada estação do ano. O pintor faleceu em 1883 e concluiu apenas A Primavera e O Outono.

A Primavera, Manet