Numa altura em que as preocupações ambientais estão cada vez mais em voga, o mercado do fabrico de automóveis tenta combater isso através de motores híbridos e até mesmo elétricos. Contudo, há sempre que decida optar por uma via diferente e chegar até onde não se pensava que era possível, como por exemplo um par de eslovacos que criou um carro… que voa. E voa mesmo. É o AeroMobil 3.0.

A ideia de termos um carro que voe não é nova e já terá passado certamente pela mente das milhares de pessoas que lidam, diariamente, com filas e filas de trânsito nas grandes cidades. Contudo, para além de pensarem no conceito, Juraj Vaculik e Stefan Klein decidiram meter mãos à obra e criar um automóvel desejado por todo e qualquer condutor que assiste ao vídeo de apresentação.

Apesar de aparentar um tamanho considerável, a verdade é que o AeroMobil, que chega agora à versão 3.0 depois de vários anos de testes e tentativas falhados, tem apenas seis metros de comprimento e dois de largura – isto, naturalmente, com as asas encolhidas. No seu interior estão dois lugares e muitos, muitos botões e comandos.

AeroMobil-6

O seu motor é colocado a funcionar por meio de gasolina normal e, para além de voar, o mais surpreendentes desta máquina está na sua autonomia: é possível viajar 875 quilómetros a uma velocidade máxima de 160 km/h. Para levantar voo, basta uma ‘pista’ com 200 metros e uma velocidade mínima de 130 km/h, sendo que o AeroMobil é menos exigente no que toca à aterragem, podendo ser feita em terrenos um pouco mais íngremes.

AeroMobil-2

Os testes de voo estão a ser realizados desde outubro e, apesar de se estimar a sua chegada aos mercados para daqui a dez anos, conta o jornal Público que o principal entrave não deverá ser o desenvolvimento da tecnologia, mas sim a sua aceitação por parte dos governos, que não de mostram mutio recetivos à ideia de ver carros voadores nos seus espaços aéreos. Para já resta admirar, e sonhar com o dia.