As novas tecnologias vieram facilitar-nos muito a vida, mas tudo o que é consumido em demasia acaba por não resultar bem. Um estudo revelado recentemente pelo Instituto Superior de Psicologia Aplicada (ISPA), que teve como base a camada jovem portuguesa, revelou que quase três quartos dos inquiridos apresentam sinais de viciação na internet, sendo que há quem já admitiu ter saltado refeições e noites de sono para ficar com os olhos vidrados no ecrã.

Os números são assustadores, mas, se pensarmos bem, todos nós conhecemos alguém assim. Num estudo conduzido por Ivone Patrão, o ISPA avaliou ao longo dos últimos dois anos o comportamento de cerca de 900 jovens, entre os 14 e os 25, e revelou agora os dados da última de três fases de estudo. Entre os números encontra-se a percentagem de 73,3% de jovens que revela sinais de dependência da internet.

Desse grupo, que representa quase três quartos dos inquiridos, 13% apresenta sinais extremos de viciação, o que acaba por resultar em atitudes como o isolamento e até numa postura violenta quando alguém os tenta chamar trazer de volta para o ‘mundo real’. Para além disso, 6% (54 dos inquiridos) dos jovens que fizeram parte do estudo confessaram ter deixado de comer e de dormir para poderem passar mais tempo na internet.

internet-addict1

Numa primera fase do estudo foi possível construir o perfil mais comum deste tipo de jovens, que são na sua maioria do sexo masculino, com presença no ensino secundário e a ausência de qualquer relacionamento amoroso.

Contudo, para contrariar o problema é preciso, primeiro que tudo, admiti-lo, algo que foi feito por mais de metade (52.1%) dos inquiridos. Resta saber qual será a evolução destes números nos próximos anos.