A última noite do Jameson Urban Routes levou ao Musicbox Lisboa paisagens sonoras mais quentes baseadas em estimulantes ritmos para abanar o esqueleto e exorcizar os fantasmas sobreviventes do Dia das Bruxas e dos Fiéis Defuntos.

Quando entramos no Musicbox está muito escuro, há pouca gente e em palco um foco sobre Mû, descalço, com o seu simbi (uma guitarra feita a partir de uma cabaça) entre as pernas carpe músicas balanta, o grupo étnico maioritário da Guiné-Bissau, de onde é natural. Com uma alma do seu tamanho e uma voz que nos engole na escuridão, Mû canta sobre a sua cultura com os instrumentos que o próprio criou a partir do estudo aprofundado que fez das suas raízes. Gradualmente, a casa fica mais cheia e chegam alguns “dos seus”, que com ele começam a cantar, a dançar e a bater palmas como quem exorciza demónios.

Mû 2

Com o aquecimento feito, o palco mantém-se tribal. Ishmael Butler e Tendai “Baba” Maraire, a dupla Shabazz Palaces, sobe ao palco com óculos de sol colocados, vestidos com padrões africanos condizentes com os panos que lhes cobrem os instrumentos de percussão e a maquinaria que utilizam para criar uma atmosfera, que tem tanto de selvagem como de especial.

O duo atira-se ao hip hop alternativo que os manda para fora de qualquer etiqueta musical. Black Up, de 2011, e Lese Majesty, lançado este ano, são álbuns que têm o pé naquele género mas vão muito além dele pelo cunho pessoal imprimido. A percussão de Baba, invulgar, com batidas fortes que raramente abrandaram, dá o mote para as letras entoadas por Ishmael e  a banda seguiu dobrando sons, replicando vozes, criando um ambiente de feitiçaria apropriado à época em que nos encontramos.

They Come In GoldSolemn Swears, Motion Sickness, Blastit, foram alguns dos temas apresentados, mas esta performance tem tanto de concerto como de live act. Não existe uma setlist e, tema após tema, as músicas vão sendo construídas em tempo real, a partir de samples em loop, efeitos vocais e percussão, o que proporcionou uma boa dose de improvisação. Do lado de cá, o público, quase sem espaço para aplaudir, vai sacudindo o esqueleto e libertando qualquer demónio acumulado.

Shabazz Palaces 5

A noite continuou em formato clubbing com Nídia Minaj, Anthony Naples e Black.

Contas feitas, o Jameson Urban Routes terminou da melhor forma, ao fim de seis noites de concertos praticamente todos memoráveis, onde as novas tendências musicais puderam ser experienciadas. Estamos todos gratos por tal amostra e para o ano esperamos mais.

 

Fotografias de Cátia Duarte Silva