Se há coisa que não podemos discutir, é a originalidade dos videoclips. Há clips para todos os gostos, mais mexidos, mais calmos, a cores, a preto e branco… mas como estamos em época de Halloween, o Espalha-Factos decidiu reunir os 10 mais assustadores.

Nesta lista os estilos musicais são variados, de Backstreet Boys a Slipknot, podemos ouvir de tudo. Mas, como nesta lista o mais importante é o que se vê, vamos sem mais demoras para o TOP 10 Videoclips mais assustadores da equipa de Música do Espalha-Factos.

Telmo Romeu:

RadioheadThere there


É irónico que um videoclip influenciado por um programa inglês para crianças dos anos 70 (Bagpuss) seja tão macabro. São os animais simpáticos com vidas humanas, os cenários duvidosos, o argumento claustrofóbico ou o vídeo aos soluços que nos deixam desconfortáveis? A única certeza é que no fim, de boca aberta, pensamos “O que é que eu acabei de ver?”

Alexandra Silva:

Michael Jackson – Thriller


Um clássico do terror dos videoclips, tem passado gerações e continua a gerar o mesmo impacto. Considerado um dos melhores vídeos musicais de sempre, faz parte do National Film Registry da Preservation Board, que compila os “filmes historicamente, culturalmente ou esteticamente significativos”. Ainda hoje ouvimos dizer “em pequeno, borrava-me de medo desse clip”. Eles andam aí!

Backstreet BoysEverybody


Por trás do animado tema da boy’s band esconde-se um show de bizarrias pensadas pelo próprio coletivo, que inclusivé financiou a sua gravação. Nele, os membrosda banda que, nos anos 90, destroçaram o coração das adolescentes, aparecem com as caras desfiguradas. Na verdade, este videoclip é uma paródia aos filmes de terror, uma espécie de Scary Movie dos vídeos musicais.

The ProdigyBreathe


A bicharada que percorre as paredes, as assustadoras caras dos membros da banda, o som das fortes batidas… Ficamos com o coração na boca, a cabeça latejar e as pernas a tremer. Um asfixiante clássico dos anos 90 que ainda hoje nos tira a respiração.

Marta Andrade:

Aphex TwinCome to Daddy


Um dos temas mais populares deste heterónimo de Richard D. James, tem, igualmente, um dos vídeos mais marcantes dos anos 90, tendo recebido vários prémios e muitas outras nomeações (como para os MTV Video Music Awards de 1998, por exemplo). Gravado no mesmo local que algumas cenas d’A Laranja Mecânica, de Kubrick, o vídeo começa com uma inofensiva idosa a passear o seu amigo de quatro patas. Ao urinar em cima de uma televisão, o cão acorda uma espécie demónio que comanda um exército de crianças (com a cara do próprio Richard D. James), sedento de almas.

James BlakeLindisfarne


Um grupo de amigos em amena cavaqueira num bucólico lar. Tudo bem, portanto; nada de impróprio ou perturbador. Calma, porque é que começaram a cuspir para dentro de uma taça? Por que carga de água é que a rapariga está a beber o repugnante conteúdo da taça?! Para que servem as tintas? Mas que raio de danças estranhas são estas? O vídeo promocional desta belíssima canção do álbum epónimo de James Blake deixa-nos, no mínimo, em desassossego.

Quote UnquoteMr. Bungle


Um clássico obscuro da banda experimental que Mike Patton formou antes de integrar os Faith no More. O vídeo que tem tudo aquilo que se quer para um dia como o de hoje: máscaras intimidadoras, cabeças de bonecos a rebolar pelo chão, corpos a balouçar em ganchos para carne… O mais arrepiante é que, mesmo depois de o vídeo acabar, aos 4 minutos e 27 segundos, a música continua a tocar sem que consigamos avançar o cursor do leitor do youtube. Ele há coisas do diabo.

Rita Barbosa:

Die AntwoordI Fink You Freaky


Um autêntico freak show. Controverso, macabro e sinistro, I Fink You Freaky dá à banda a imagem à qual já nos habituaram. Como se o escaravelho, os répteis e os ratos não fossem suficientes, o grupo sul-africano parece ter o dom de escolher as pessoas mais perfeitamente estranhas para os acompanhar. Representantes do Zef Side, Yolandi e Ninja talvez possam não ser as pessoas ideais para encontrar numa rua escura depois da meia-noite.

João Patrício:

Marilyn Manson – Sweet Dreams (Are Made Of This)


Se a cara do cantor já é por si assustadora, nada melhor do que um videoclip  num constante close-up das suas expressões faciais. Trata-se de uma excelente cover da música originalmente cantada pelos Eurythmicsnuma versão mais “pesada” e obscura. O cenário caótico, a carga simbólica por trás da personagem encarnada pelo artista e até mesmo o jogo de distorção das imagens são, sem sombra de dúvida, aspetos a considerar.

Slipknot – Psychosocial


Ainda no registo de uma apresentação aterradora, os Slipknot são bem sucedidos. As máscaras são surreais e, quando combinadas com um cenário com elementos satânicos e com a voz demoníaca do vocalista Todd Corey Taylor, formam um conjunto, no mínimo, sinistro.