O DocLisboa 2014 voltou a assaltar a capital para a sua 12ª edição, trazendo os melhores documentários nacionais e internacionais. De entre os vários filmes em competição na programação deste ano, destacam-se a longa-metragem internacional Pine Ridge e a curta-metragem Tôi quên rõi!

Pine Ridge de Anna Eborn segue a vida quotidiana numa reserva de índios nos EUA.  A realizadora retrata cada participante como  um fragmento que alberga a cultura ocidental imposta nas suas fronteiras e a cultura índia que vai se desvanecendo de geração em geração. A revolta e o conformismo abatem os moradores da reserva que, por um lado lutam por uma vida mais consumista, semelhante à dos outros americanos,  e por outro tentam preservar as suas raízes e tradições que vêm sendo absorvidas pelo ambiente envolvente.

A beleza do filme reside neste mosaico de vidas paralelas que deambulam pela reserva sem rumo, nem perspetiva. A voz off de cada morador envolve o espetador com a sua história, por vezes trágica ou simplesmente promissora.

O contraste entre a cultura americana moderna e a cultura nativa  é o ponto alto do filme. Por momentos visualizamos um grupo de americanos com armas, bons carros e fatos de cowboy a montar touros, bem como índios vestidos com roupas de gangster e almejando a riqueza dos que passam por si. Por outro, vemos os nativos realizando rituais associados à morte, contemplando a natureza com as suas tranças compridas e lutando pelos seus direitos.

O filme apenas peca pela falta de coerência na na construção da narrativa. Certas cenas são envolventes e enriquecem a mensagem que a realizadora pretende transmitir. Outras cenas são simplesmente inanimadas, completamente desenquadradas do filme, não acrescentado nada de especial à narração.

Pine Ridge vai regressar, desta vez, às salas do cinema São Jorge dia 22 de Outubro às 18h45.

7/10

Ficha Técnica
Título: Pine Ridge
Realizador: Anna Eborn
Género: Documentário
Duração: 77 minutos

TOIQUENROI-JAIOUBLIE

Tôi quên rõi!, a curta-metragem de Eduardo Williams, acompanha jovens vietnamitas no seu dia-a-dia. A câmara, uma GoPro improvisada, substitui o olhar do realizador que persegue tanto a pé como de mota cada passo destes rapazes. Entre as peripécias no trabalho de construção de casas, a exploração de um quintal e os malabarismos de parcour nos edifícios abandonados, o espetador conhece a rotina da juventude vietnamita personificada nestas duas personagens reais.

Apesar do objetivo do filme ser inspirador, o realizador não consegue atrair o espetador ao ecrã. As imagens são captadas de forma descuidada, transparecendo um amadorismo inconcebível num festival da magnitude do DocLisboa. Os diálogos do mesmo modo não acrescentam nada de relevante à história, chegando por vezes a roçar o cómico ou ridículo.

Uma curta com uma ideia interessante, mas que não conseguiu concretizá-la em filme, nem marcar positivamente a sua passagem no festival.

3/10

Ficha Técnica
Título: Tôi quên rõi!
Realizador: Eduardo Williams
Género: Documentário
Duração: 26 minutos