A ópera Três mulheres com Máscara de Ferro terá estreia mundial dia 14 de Outubro, às 22h, com apresentação da Fundação Calouste Gulbenkian e do Teatro Aberto, no âmbito do I Congresso Internacional dedicado à obra de Agustina Bessa-Luís

Com encenação de João Lourenço e música de Eurico Carrapatoso, a partir de um texto inédito da autora, esta peça terá como protagonistas as solistas Ana Ester Neves, Angélica Neto e Patrícia Quinta como Fanny Owen, Ema e Sibila, respetivamente.

Nas palavras da dramaturga Vera San Payo de Lemos, “o modo como as três personagens  são apresentadas (…) remete precisamente para as representações teatrais na Antiguidade , em que as máscaras, a dança e a música fazem parte das linguagens cénicas”. O tema central da peça, introduzido por Ema, é o amor: “como surge?, como se manifesta?, como perdura?, quais as suas faces?, quais as suas máscaras?”.

“Vamos pôr as nossas máscaras e voltar para o nosso lugar. Elas escondem que somos iguais aos homens e que temos direito ao reino deles. Mas como os iguais não se podem amar temos que usar estas máscaras de ferro toda a vida”.  Uma peça não só sobre o amor, mas também sobre a afirmação da igualdade dos homens e das mulheres e, consequentemente, sobre a importância da diferença nas relações. “Marcar a diferença para que o amor surja, se manifeste e dure toda a vida”.

As Três mulheres com Máscaras de Ferro estará em palco dia 14, às 22h, na Fundação Calouste Gulbenkian, e de 17 a 18 de Outubro, às 22h,  na Sala Azul do Teatro Aberto.  O preço do espetáculo varia entre os 7,5€ (até aos 25 anos) e os 15€ (bilhete normal). Para os sénior (mais de 65 anos), o bilhete custa 12€.

Para mais informações contacte o Teatro Aberto.