Entras numa festa e não conheces ninguém. Sentes-te constrangido. Sozinho no meio da multidão. ‘’Com quem poderei falar? Será que aquela pessoa ali ao fundo gosta das mesmas coisas que eu? Se calhar, até nos poderíamos dar bem’’. Estas podem ter sido algumas das questões que passaram pela cabeça dos seis jovens que fazem parte da Match Up – a empresa que pretende criar redes sociais na vida real.

Quem disse que as festas têm de ser aborrecidas nas primeiras horas tem aqui a prova de que isto pode – e vai – mudar. Basta escolher a aliada certa: a tecnologia. ‘’Em vez de ser uma tecnologia que me afaste de ti, é uma tecnologia que me aproxima de ti’’, explica Miguel Novais, co-fundador e diretor executivo da empresa.

Um dos produtos desta start-up, localizada em Braga, é a Match Up Party, que, tal como o nome indica, é uma festa que cria experiências para promover a interacção entre os participantes. Para fazer parte desta festa, basta comprar uma pulseira, pelo valor de três euros. Depois, é só ir ao site da Match Up Party, ativá-la e responder a um questionário.

Mas como é que cada pessoa vai encontrar os seus parceiros de festa ideais? Simples: o questionário serve para que cada pessoa indique os seus contactos (número de telemóvel e e-mail), os seus gostos pessoais e os valores que a definem. Cada pulseira tem, também, um código único (M19, por exemplo) para que os outros o possam encontrar a meio da festa.

ilustracao-telemovel-en (2)

O cruzamento de dados é feito e, no dia da festa, todos os participantes recebem uma mensagem – ao mesmo tempo – com as ”dinâmicas de interação’’. Cada mensagem é personalizada, o que torna a experiência ainda mais especial. As mensagens podem dizer, por exemplo, ”abrace toda a gente à sua volta”. ilustracao-telemovel-en (3)

Mas esta não é a única SMS que cada telemóvel recebe: a meio do evento há o Match Up Time e aí o telemóvel toca novamente, indicando os números das pulseiras que cada um deve procurar. Começa a verdadeira festa.

ilustracao-telemovel-en (2)

 

Pôr pessoas a interagir é um dos grandes objectivos da start-up – quer seja num contexto mais pessoal, na vida profissional ou até mesmo no panorama académico. É assim que nasce uma outra ideia: a Match Up Academic, um evento semelhante à Match Up Party, mas que se restringe aos estudantes universitários e à sua integração.

IMG_1816

Até agora, apenas as cidades de Guimarães e Braga viram esta festa acontecer – na Universidade do Minho -, mas a ideia é expandir o conceito e levá-lo até outras universidades do país.

A Match Up surgiu no programa Working Ideas, promovido pelo gabinete de empreendedorismo da Associação Académica da Universidade do Minho e os seis jovens têm formações em programação, comunicação, design, gestão, marketing, economia e engenharia.