Logo após grande aquela viagem, são muitas as fotos que trazes no teu smartphone e que os teus pais e amigos querem ver o mais rapidamente possível. “Primeiro terei de passá-las para o computador, depois para uma pen e só depois as poderemos ver na televisão. Isto depois de eu recuperar o sono“, dizes tu. Foi mesmo a pensar em problemas como este que o português Pedro Correia desenvolveu a Ghump, uma aplicação que promete deixar de lado cabos e outras complicações.

Mostrar uma série de fotos num ecrã de quatro ou cinco polegadas para um conjunto de 10 ou 15 pessoas é sempre o desafio. Surge então a hipótese de as transferir para um computador, mas para isso é necessário recorrer a um cabo, a algum serviço de cloud ou ao tradicional método de enviar as fotos para ti próprio por email, algo que se pode ser desafiante quando estamos a liderar com ficheiros recheados de megabytes.

Agora, esta dor de cabeça poderá ser reduzida a poucos cliques com a Ghump, um aplicação 100% made in Portugal lançada nesta segunda-feira que permite a visualização de fotos de um iPhone ou iPad em qualquer ecrã ligado que esteja a um dispositivo com acesso à internet.

O processo não poderia ser mais simples: o utilizador acede ao site da Ghump do aparelho onde quer que sejam exibidas as fotografias. Depois, basta seleccionar as fotografias no iPhone ou iPad e apontar a câmara para o código QR que aparece no ecrã, o que deverá dar início ao processo de upload das fotos.

Poucos segundos depois, o utilizador terá total controlo das fotografias que aparecem tanto no pequeno como no grande ecrã, sendo ainda possível fazer zoom & drag das mesmas.

  • Pedro Correia promete mais e garante a segurança das fotos

Foi com natural agrado que Pedro Correia, o desenvolvedor da aplicação, viu o produto “final que ainda não é final” ser disponibilizado na App Store depois de um processo que demorou cerca de um ano desde o projeto inicial. O autor da ideia, de 27 anos, contou ao Espalha-Factos como tudo começou: vi uma aplicação que por vezes aparece em séries, onde a pessoa apontava o telemóvel um produto com um QR e aparecia uma imagem no telemóvel, e então eu comecei a pesquisar por aplicações semelhantes”.

Revela que deu então de caras com a Nokia Beamer, “uma aplicação semelhante mas que é muito limitada, ao passo que a Ghump mostra informações sobre o telemóvel e é possível escolher a qualidade da imagem, entre outras funções”. Logo após os primeiros rascunhos, o autor de Ghump, com experiência em programação para Windows, idealizou o design por si mesmo mas viu-se obrigado a recorrer a ajuda externa para construir o código da app.

Sem Título

Com o produto lançado, uma das questões que se colocam é a segurança das fotos, que são enviadas para os servidores para a Amazon, onde ficam disponíveis durante 24 horas, para depois serem exibidas no segundo ecrã. Há perigo de fuga de dados? “Os servidores da Amazon são dos mais seguros do momento, e temos ainda um serviço de segurança que impede o acesso aos servidores. Nunca se pode garantir a 100%, mas acho é muito difícil, para não dizer impossível, aceder às fotografias de outra pessoa”, garante Pedro.

No futuro, é altura de implementar novas funcionalidades que já estão na sua cabeça. Para além de uma versão paga e isenta de publicidade, o Ghump poderá ganhar uma renovada base de dados, permitindo a criação de contas de utilizadores para que as pessoas possam consultar as fotos já carregadas anteriormente, oferecendo ainda a hipótese de salvar as fotografias quando o aparelho escolhido para a exibição é um computador.

Para além disso, Pedro Correia quer acrescentar a opção de ver vídeos, apresentações powerpoint e outros ficheiros através da aplicação, isto “para quando alguém fizer uma apresentação apenas precise de levar o telemóvel, que passaria a funcionar como o comando durante um slideshow. Já estive à procura e não vi nada em relação com isso”.

A migração para Android e, eventualmente, Windows Phone, é algo que está em cima da mesa, mas não para já pois este foi “um investimento grande” e que o próximo desenvolvimentos virão consoante a adesão dos usuários iOS“Não vou estar a fazer um investimento gigantesco para não ter retorno”, concluiu.

Podes fazer o dowload da aplicação aqui.