O actor e cineasta brasileiro de 77 anos – internado no Hospital Pós-Cardíaco desde domingo – faleceu dia 4 de outubro, no Rio-de-Janeiro.

Ao fim de mais de cinquenta anos de trabalho em palcos e ecrãs, depois de personagens como Olegário Silva (em Insensato Coração), Agenor Pinheiro (em De Corpo e Alma), Lucas (em O Dono do Mundo) e Waldomiro Pena (em Plantão de Polícia), terminou o seu trabalho em televisão com um papel na minissérie O Brado Retumbante.

Como cineasta, o ator é lembrado pelos filmes O Homem Nu, Bar Esperança, Vai Trabalhar, Vagabundo e A Casa da Mãe Joana.

Segundo o hospital, onde faleceu por volta das onze da manhã do dia 4, o ator sofria de Parkinson há cinco anos e lutava contra um cancro no pulmão.