A Internet é um mundo. Mas, tal como a maioria das tecnologias, é um mundo onde a maioria dos participantes são homens. E o Youtube não é exceção.  Hoje mostramos-te quatro canais que contrariam a regra.

Basta recordar o video da semana passada de Sam Pepper, que gerou polémica. Nele, Pepper veste uma camisola simulando que tem uma das mãos no bolso. Na verdade, a sua mão está livre e ele aproveita-a para apalpar as mulheres que interpela na rua quando estas se distraem. O video está aqui e a polémica foi grande. Mas não é sobre Sam Pepper que escrevemos (porque se calhar ele nem merece tanta atenção), mas sim sobre youtubers no feminino.

Anna Akana

Anna Akana é uma atriz e produtora, com participações em projetos diversos. A carreira de Anna no YouTube começou quando esta namorava com Ray William Johnson (o criador e produtor do =3 ). Ainda que falar da carreira de Anna através do seu namorado não faça jus ao seu talento nem à qualidade dos seus vídeos, é inegável que este lhe deu bastante projeção no início. Anna fala de temas  muito variados, desde os estereótipos sobre mulheres asiáticas às suas inseguranças ou as suas histórias de criança. Tudo com uma boa dose de humor e muitas pistolas à mistura (ela própria reconhece que utiliza armas demasiadas vezes nos seus vídeos).

Megan MacKay

Megan discute diferentes assuntos da atualidade diretamente do seu quarto. De convicções fortemente feministas, a Megan tem opiniões válidas e interessantes que valem a pena ser ouvidas. Os seus vídeos são um oásis num deserto de youtubers que parecem desfasados da realidade e em que são poucos ou nenhuns os que têm opiniões realmente informadas sobre o que se passa. Acima de tudo, Megan consegue desenvolver um humor acutilante e fatal, como por exemplo no seu tutorial de maquilhagem inspirado no caso Ray Rice (jogador de futebol americano apanhado a praticar violência doméstica).

Hannah Hart

Ainda que o seu maior sucesso sejam os vídeos My Drunk Kitchen, em que, como o nome diz, Hannah se embebeda antes de cozinhar, Hannah tem um lugar importante na comunidade youtuber pelos seus diversos vídeos sobre a temática LGBT. Hannah é abertamente lésbica e através dos seus vídeos pretende passar uma mensagem de apoio a jovens LGBT. O facto de ser mais ‘velha’ do que a maioria dos youtubers confere ao seu humor uma sinceridade pouco habitual. Apesar de, nos seus vídeos, se embebedar como uma universitária.

Laci Green

Sexo. Montes e montes de sexo. Não, não estamos no PornTube, estamos no canal de Laci Green onde sexo é o tema habitual. Ter uma rapariga a falar sobre esta temática é algo pouco usual, portanto Laci merece o reconhecimento. Se ser rapariga na Internet é difícil, ser rapariga e falar de sexo torna-a num alvo de muito ódio nos comentários. Laci fala de temas relevantes sem complexos, como deveriam ser abordados.