Mercier Philip Cunningham foi um bailarino e coreógrafo americano que encabeçou o movimento de dança contemporânea. A sua forma revolucionária de ver a dança e as relação simbióticas que estabeleceu com as outras artes fizeram de Merce uma das maiores figuras da dança a nível mundial. É este o grande coreógrafo que o Espalha-Factos te apresenta neste Passo a Passo.

Merce nasceu em 1919, época em que a dança se começava a soltar das rígidas e ancestrais medidas ditadas pelo ballet clássico. Em 1937 inicia a sua formação como bailarino, tendo já no seu corpo estabelecidas uma formação teatral. Por volta dos 20 anos, Merce Cunningham conhece Martha Graham (uma das coreógrafas responsável pela dança moderna com a sua técnica das torções e contrações) que o convida para fazer parte da sua companhia. Em 1939, Cunningham muda-se para Nova Iorque e torna-se o principal solista na companhia de Martha Graham por seis anos. A sua primeira atuação independente foi em 1944, com o músico compositor John Cage, o seu companheiro de vida e maior colaborador na obra de Cunningham.

Merce Cunningham jumping

Foi no verão de 1953 que Merce e John criam a Merce Cunningham Dance Company como um fórum de exploração das suas ideias na dança e na arte performativa. Além do seu contínuo trabalho como coreógrafo até ao dia do seu falecimento, Merce foi um dos intérpretes na sua companhia até meados dos anos 90. Ao longo de toda a sua carreira Cunningham criou mais de 200 coreografias e desenvolveu mais de 800 events, trabalhos coreográficos únicos e que se baseiam no acaso e na sorte.

Merce Cunningham morreu a 26 de julho de 2009, tranquilamente em sua casa. O seu legado coreográfico continua em exibição pela sua companhia e a técnica criada por si é uma das mais conhecidas e exploradas no mundo da dança.

an old merce

Merce usou a máxima de Einstein “Não há pontos fixos no espaço” para descentralizar o espaço cénico, as coreografias não partem de um de um ponto específico, podendo sempre realizadas em qualquer parte do palco. O acaso é algo caraterístico desta técnica, havendo espetáculos em que os bailarinos só ouviam a música que os acompanhava quando já estavam em palco a apresentar a peça, havendo até alturas em que só lhes era dito o que iam dançar na hora. Merce Cunningham via a dança simplesmente como ela era: dança, algo abstrato, sem um significado específico, sem contexto ou mensagem apenas movimento. Movimento esse que partia do corpo, do tronco muitas vezes, tendo por isso toda uma técnica que ensina os bailarinos a andar ou a fazer um simples plie (flexão dos joelhos).

Cage e Cunninhgam tinham uma forma característica de trabalhar, cada arte envolvida na peça a apresentar trabalhava independentemente e só se encontrava em palco. A referência deles era o I Ching, um oráculo chinês milenar que funciona com base na combinação de linhas. O acaso era o definidor coreográfico, e muitas vezes os pontos altos da dança, da música e da luz não coincidam, assim surgiram os Events em 1964. Merce apresentou o primeiro como “Presented without intermission, this Event consists of complete dances, excerpts of dances from the repertory, and often new sequences arranged for particular performance and place, with the possibility of several separate activities happening at the same time—to allow not so much [for] an evening of dances as the experience of dance.”

Merce Cunningham sempre gostou de inovar e explorar novas parcerias. A nível cénico trabalhou com artistas como Andy Warhol, Jasper Johns e Roy Lichtenstein e na música, além de John Cage, teve projetos com banda contemporâneas como Radiohead, Sigur Rós ou Sonic YouthCunningham foi dos primeiros a utilizar as tecnologias na arte, criando o vídeo performing e até desenvolveu um programa de computador que permitia criar coreografias com base em movimentos dos seus bailarinos, o Dance Forum.

Em 2009 Merce Cunningham desenvolveu um interesse especial pelos novos media criando uma série disponível no youtube que mostrava os bastidores da sua companhia, ensinava a sua técnica e entrevista a bailarinos, coreógrafos e outros colaboradores. A série chamava-se Mondays with Merce e está disponível aqui.

técnica cunningham

Merce Cunningham será sempre um coreógrafo intemporal. A sua técnica perdurará enquanto a dança existir, a sua visaão da arte e do mundo são equiparáveis, tal como as suas obras únicas. E nunca se esqueçam, tal como Cunningham disse uma vez: “A única forma de fazer algo, é fazê-lo!”